Central Única dos Trabalhadores

Twitter apaga postagens de Bolsonaro por violar OMS no combate ao coronavírus

30 março, segunda-feira, 2020 às 12:28 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Twitter apagado

Twitter apagado

RBA – A rede social Twitter considerou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou posts que potencialmente colocam em risco a vida das pessoas e apagou, na noite do domingo (29), apagou dois vídeos da conta oficial que mostravam o “passeio” de Bolsonaro pelo Distro Federal, cumprimentando comerciantes e apoiadores, além de provocar intencionalmente a aglomeração de pessoas. 

Nas postagens, o presidente ainda cita o uso de cloroquina como alternativa de tratamento para a doença e defende o fim isolamento social, como forma de prevenção à explosão da pandemia de coronavírus.

Com as publicações deletadas, os vídeos deram lugar à mensagem: “Este tweet não está mais disponível porque violou as regras do Twitter”.

Em nota, o Twitter explica que seu posicionamento é aplicado aos usuários do mundo todo e “expandiu suas regras para abranger conteúdos que forem eventualmente contra informações de saúde pública orientadas por fontes oficiais e possam colocar as pessoas em maior risco de transmitir Covid-19”.

A ação da rede social repercutiu entre os parlamentares. A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) questionou: “Quando vamos apagar esse governo bizarro e genocida da nossa história?”. O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) também criticou Bolsonaro. “Vergonhoso. Presidente do Brasil sendo tratado corretamente como um moleque”, postou.

Bozo com povo
Desinformação

Essa é a primeira vez que o Twitter apaga postagens do presidente, mas a segunda de apoiadores e até da sua própria de governo. Na semana passada, a rede social havia paralisado por 12 horas as contas do influenciador bolsonarista Allan dos Santos, do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), e do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Os três utilizaram fora de contexto um vídeo antigo do médico Drauzio Varella sobre a crise do coronavírus. A empresa tomou a medida após considerar que as postagens dos três poderiam levar as pessoas a se exporem ao risco de contaminação pelo coronavírus.

 

Fonte: Rede Brasil Atual (RBA)