Central Única de Trabalhadores

Trabalhadores tomarão as ruas nesta sexta para dar um basta aos retrocessos do golpe

9 agosto, quinta-feira, 2018 às 3:37 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Centrais unidas

Centrais unidas

Enquanto as elites política e jurídica continuam legislando em causa própria e aumentando seus próprios salários, resta à maioria dos brasileiros e das brasileiras o desalento, o desemprego, salários baixos, preços do gás de cozinha subindo tanto que muitos foram obrigados a voltar a cozinhar como antigamente, quando só existam fogões a lenha. E ainda são ameaçados com a política de privatização do ilegítimo e golpista Michel Temer (MDB-SP), que quer vender o patrimônio nacional, aumentando ainda mais o desemprego.

É contra esses retrocessos sociais e trabalhistas que a CUT, demais centrais e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, que reúnem centenas de movimentos populares, vão às ruas de todo o País, nesta sexta-feira (10), para protestar. É dia de dizer basta de desemprego, basta de retirada de direitos, basta de aumento nos preços do gás de cozinha e combustíveis e basta de privatizações!

“A sociedade e a classe trabalhadora estão de ‘saco cheio’ de tanta desmoralização. Amanhã é dia de dizer que não aguentamos mais o desemprego, o salário baixo e a volta do bico ao invés da carteira assinada”, diz o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas.

Para o secretário-Geral da CUT, Sérgio Nobre, “todas as categorias profissionais e todos os movimentos sociais têm várias razões para estarem nas ruas, nesta sexta, contra a retirada de direitos e pela melhoria da qualidade de vida”.

“Vamos dizer basta de desemprego, basta de retirada de direitos, basta de ataques à aposentadoria, basta de aumentos dos preços do gás de cozinha e dos combustíveis, basta de privatizações e desmonte do serviço público, e basta de perseguição ao ex-presidente Lula”, afirma o presidente em exercício da CUT-RS, Marizar de Melo.

Mobilização no Rio Grande do Sul

Haverá paralisações parciais em várias empresas, que estão sendo organizados pelos sindicatos. Além disso, serão promovidas manifestações em Porto Alegre e cidades do Interior, como Canoas, Guaíba, Passo Fundo, Santa Maria, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Santa Cruz do Sul, Vacaria, Osório e São Lourenço do Sul, dentre outras.

Na capital gaúcha, a mobilização começa com uma concentração, às 8h30,, em frente à sede da Fecomércio (Avenida Alberto Bins, 665), onde será realizado um ato contra a reforma trabalhista e o desemprego. Em seguida, os manifestantes sairão em caminhada até a Praça da Matriz, onde acontece, às 10h, um ato contra a política neoliberal do governo Sartori de desmonte do estado e ataque aos servidores e ao serviço público.

Na seqüência, eles seguirão até o Foro Trabalhista (Avenida Praia de Belas, 1432), onde será promovido pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-RS), às 11h, um ato em defesa da Justiça do Trabalho e dos direitos sociais.

Card - Dia do Basta

 

Fonte: CUT-RS com Luciana Waclawovsky, especial para Portal CUT Nacional