Central Única de Trabalhadores

Tarifas cobradas pelos bancos sobem até 169% em dois anos

30 setembro, quarta-feira, 2015 às 3:49 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

bab9cc6ecb8d3e35f9c7f9c33b7e1868

Na hora de cobrar tarifas dos clientes, juros em empréstimos, cheque especial, cartão de crédito, os bancos não economizam nos números. Mas na hora de pagar seus funcionários…

De acordo com a associação de consumidores Proteste, as tarifas cobradas pelos oito maiores bancos do país entre 2013 e 2015 cresceram até 169%. O percentual é 8,6 vezes superior à inflação para o mesmo período.

Mais que isso, o aumento para as tarifas foi 9,83 vezes maior que os 17,18% que reajustaram os salários dos bancários desde 2013.

“Esse é somente mais um indicador dos muitos que comprovam: a proposta dos bancos, que quer impor perda de 4% para os bancários é uma vergonha, uma provocação que vai levar os trabalhadores à greve”, afirma a secretária-geral do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Ivone Maria da Silva.

“As tarifas são cobradas por serviços, eminentemente trabalho do bancário ou dos próprios clientes nos terminais eletrônicos, na internet, no celular. Esse dado só reforça o que sempre dizemos: os bancos tiram muito dos trabalhadores e de toda a sociedade. Chega de ganância, exploração não tem perdão!”

Pesquisa

O levantamento da associação Proteste comparou as tarifas das cestas informadas nas tabelas de Banrisul, Banco do Brasil, Bradesco, Citibank, HSBC, Itaú, Santander e da Caixa Federal.

O maior aumento foi na cesta Exclusive Fácil (antiga Conta Fácil Bradesco Super) do Bradesco, que em 2013 custava R$ 23 mensais, e no próximo mês passará a custar R$ 61,90. O consumidor  terá um custo anual de R$ 742,80, ou seja, R$ 466,80 a mais que em 2013.

Também foram encontrados pacotes de serviços com valores de até R$ 74 mensais, como o cobrado pelo Santander na cesta de serviço Van Gogh Max. O custo anual do pacote soma R$ 888.

Guerra de informação

A Folha Bancária que circula hoje na capital paulista reporta que instituições como Banco do Brasil e Caixa estão circulando materiais entre seus trabalhadores que procuram confundir as pessoas. Banco do Brasil informa que as negociações internas continuam, embora tenham sido interrompidas no último dia 18.

Já a Caixa publicou material dizendo que o abono salarial oferecido pela federação de bancos significa aumento de salário. Porém, a verdade é que esse abono seria pago uma única vez.

Dia de Luta

Ontem, em várias cidades, foi realizado mais um Dia Nacional de Lutas dos Bancários e Bancárias, para acumular forças em direção a uma greve consistente, que possa dobrar a direção dos bancos.

 

Fonte: CUT Nacional