Central Única de Trabalhadores

Sul 21: Jerry de Oliveira – Rádio Democracia: a Luta por uma outra Comunicação no Brasil

12 janeiro, sexta-feira, 2018 às 9:58 am

Comentários    Print Friendly and PDF

Brizola rede

Brizola rede

 Sul21 – O lançamento da Rádio Democracia causou furor nos grupos de mídia que não encontram espaço para difundir e informar com imparcialidade, furor entre as rádios comunitárias, educativas, estatais e rádios webs, e também muita preocupação entre a mídia tradicional.

É sobre esta mídia tradicional que vou tratar de debater neste artigo. Tradicionalmente o conceito comunicação é o ato de troca de informações, aquilo que chamamos de comunicação dialógica. O ato de se comunicar se dá na troca de experiências, no ato de difundir e receber informações.

No Brasil tradicionalmente nunca tivemos meios de comunicação, quanto mais meios de comunicação com a missão do diálogo, do ato de difundir e receber informações de forma horizontal e democrática. Os meios de comunicação construído no Brasil são meros instrumentos de difusão de valores. Valores de quem? Daqueles que tradicionalmente dominam o país e que são herdeiros daqueles que chegaram ainda nas caravelas do invasor e que aqui pilharam e ainda pilham nossas riquezas.

A Rádio Democracia pretende fazer comunicação de fato, resgatar este conceito e garantir que todos possam falar, se utilizando de um instrumento público, o espectro de radiofreqüência que nos foi roubado pelas elites, mas que conseguimos em 20 aos de luta garantir nossos canais com uma pequena “Reforma Agrária” do ar.

Não seremos um veículo de comunicação para a defesa de Lula, como estão querendo fazer entender a velha e tradicional mídia golpista, que constrói a mentira. Seremos um veículo de comunicação que pretende garantir a comunicação como um direito humano, comprometido com um projeto de comunicação dialógico.

Nosso entendimento é resgatar a Rede da Legalidade do saudoso Leonel Brizola porque entendemos que a radiodifusão brasileira deve estar a serviço da liberdade e da Democracia. Foi a Cadeia da Legalidade que fez Leonel Brizola ser a grande liderança histórica que retardou um golpe de estado no país.

Foi Leonel Brizola que desmascarou a mídia golpista nas eleições de 1982 no estado do Rio de Janeiro, que tentou manipular o resultado de uma eleição (limitada na época pela ditadura) por um dos maiores conglomerados de mídia do mundo, cujo nome não mencionarei porque para nós não possui nenhuma relevância e nenhum apreço.

Foi Leonel Brizola que nos garantiu a esperança de alterar este quadro de difusão de valores da classe dominante ao garantir a famosa ação judicial do direito de resposta no Jornal Nacional, que deixou eles preocupados e nós com esperança de derrotar esta mídia e fazer cumprir sua missão. Ser dialógica e de interesse da coletividade. Brizola nos deixou, porém seu legado está vivo. E a ele rendemos nossas homenagens nesta que já é a maior rede de rádios da história do Brasil em quantidade de emissoras.

A Lula nos cabe sua defesa por enfrentar um poder absoluto das elites, o Poder Judiciário, que alterou as regras do jogo em nossa luta, descumprindo artigos fundamentais de nossa constituição (artigo 5º da Constituição e do Pacto de São José da Costa Rica) criminalizando cerca de 30 mil emissoras de rádios livres e comunitárias em 30 anos.

Sua luta agora se volta a este poder, que equivocadamente fala em defesa de justiça mas que na prática não representa a justiça que queremos. Se existisse Justiça neste Brasil, não teríamos a frase “Poder” nesta estrutura que serve para criminalizar cidadãos para garantir a continuidade de um golpe em curso desde a queda da valorosa presidenta Dilma Rousseff.

A Rádio Democracia não terminará. Após o dia 24 de janeiro, ela continuará também contra outro golpe, a Reforma da Previdência.

Vito Gianotti, presente! Seu sonho será realidade.

Viva a democracia e nenhum direito a menos!

 

 

 

Jerry de Oliveira é coordenador nacional do Movimento Nacional de Rádios Comunitárias.

 

 

Fonte: Sul21