Central Única dos Trabalhadores

Sindicatos da FUP aprovam acordo coletivo que preserva direitos por dois anos

15 setembro, terça-feira, 2020 às 3:55 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

ACT Petrobrás

ACT Petrobrás

Em assembleias realizadas em todo o país, os sindicatos de petroleiros filiados à Federação Única dos Trabalhadores (FUP) aprovaram proposta de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) que preserva por dois anos os direitos da categoria petroleira, com uma cláusula de garantia de emprego em todo o Sistema Petrobras, e prevê reajuste salarial na data-base (1º de setembro) deste ano apenas em 2021.

O ACT será assinado nesta terça-feira (15), de forma eletrônica.

Também nesta terça, no programa Encontro com a categoria, a FUP debaterá os próximos passos na luta contra a implantação da associação privada para gerir a Assistência Médica de Saúde (AMS) e a derrubada das resoluções 22 e 23 da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União (CGPAR).

Também serão discutidas estratégias de fortalecimento da campanha Petrobrás Fica e outras formas de resistência contra as privatizações no Sistema Petrobrás. O programa vai ao ar às 18h30, ao vivo, pelo canal do YouTube da FUP, com  transmissão também pelo Facebook da entidade. 

Aprovação do ACT

Após duas semanas de intensos debates com os trabalhadores, os sindicatos da FUP concluíram neste domingo (13), a aprovação da contraproposta negociada com a Petrobras.

Para a direção da FUP, ter um Acordo Coletivo pactuado por dois anos em meio à complexa conjuntura política e econômica que impacta profundamente o povo brasileiro é uma conquista, principalmente diante dos graves ataques que sofrem os trabalhadores do setor público e das empresas estatais.

Para a direção da FUP, a greve de fevereiro e a veemente rejeição dos petroleiros à proposta inicial de desmonte do ACT fortaleceram as direções sindicais para que buscassem no processo de negociação o atendimento dos principais eixos definidos na pauta de reivindicações construída nos congressos da categoria.  

Com garantia de emprego e um ACT por dois anos, os petroleiros terão fôlego para enfrentar a maior das batalhas, que é a defesa do Sistema Petrobrás.

Quadro final das assembleias

Sindipetro Amazonas – ACT aprovado por 100% dos votantes

Sindipetro Ceará/Piauí - ACT aprovado por 68% dos votantes

Sindipetro Rio Grande do Norte – ACT aprovado por 78,35% dos votantes

Sindipetro Pernambuco/Paraíba –  ACT aprovado por 91,5% dos votantes

Sindipetro Bahia - ACT aprovado por 67% dos votantes

Sindipetro Espírito Santo –  ACT aprovado por 85% dos votantes

Sindipetro Minas Gerais – ACT aprovado  por 60% dos votantes

Sindipetro Norte Fluminense -  ACT aprovado por 65% dos votantes

Sindipetro Duque de Caxias –  ACT aprovado por 54% dos votantes

Sindipetro Unificado de São Paulo –  ACT aprovado por 78,68% dos votos válidos

Sindipetro Paraná/Santa Catarina – ACT aprovado por 80,4% dos votantes

Sindipetro Rio Grande do Sul – ACT aprovado por 68,5% dos votantes

 

 

Fonte: CUT Brasil com informações da FUP e sindicatos filiados