Central Única de Trabalhadores

Sem transparência do governo Sartori, deputados aprovam projeto de empréstimo do BID para a Corsan

14 novembro, terça-feira, 2017 às 6:44 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Projeto da Corsan

Projeto da Corsan

Com 32 votos favoráveis, quatro contrários e várias abstenções, os deputados aprovaram na tarde desta terça-feira (14) o projeto de lei de autoria do governo Sartori, que trata de operação de crédito internacional a ser realizada pela Corsan junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Os parlamentares do PT ocuparam a tribuna da Assembleia Legislativa para criticar a falta de transparência do governo. Por isso, na votação, a posição da bancada foi de abstenção à proposta. De novo, “um projeto do Executivo chega ao Legislativo às pressas, sem discussão, com pedido de urgência para votação e sem análise do corpo técnico da própria Corsan”, denunciaram lideranças do partido.

O financiamento de que trata o projeto, com garantias da União, é no montante de U$ 300 milhões de dólares (R$ 975 milhões), sendo U$ 200 milhões (R$ 650 milhões) financiados pelo BID e U$ 100 milhões (R$ 325 milhões) aportados como contrapartida pela Corsan.

Na tribuna, o deputado  Tarcísio Zimmermann (PT) pediu, inclusive, que fosse incluída nos anais do parlamento gaúcho a cópia de uma carta da Associação dos Engenheiros e da Associação dos Técnicos Científicos da Companhia. No documento, eles afirmam desconhecer os projetos técnicos para os quais o governo Sartori está buscando esse financiamento externo.

Tarcisio2

“Ficamos muito surpresos com essa informação. Como é possível que as áreas técnicas da empresa, altamente qualificadas e comprometidas, desconheçam o teor das obras que serão realizadas com esses recursos”, questionou Tarcísio. Para o deputado, a Assembleia, ao aprovar um projeto com esse grau de obscuridade, estaria cometendo um grave erro.

O parlamentar criticou: “Como é possível que, na véspera do final de um governo desastroso como o de Sartori, a Assembleia avalize uma operação de crédito de mais de R$ 645 milhões, com uma contrapartida de mais de R$ 300 milhões? O que está escondido por trás desse projeto que nem o corpo técnico da Corsan pode saber?”

Cade a transparência?

Líder da Bancada do PT, a deputada Stela Farias argumentou que a bancada não era contrária a financiamentos estrangeiros. Lembrou que, quando o PT esteve no governo, teve transparência e sempre cumpriu todas as exigências exigidas pelo Legislativo.

“A bancada do Partido dos Trabalhadores votaria a favor do projeto, mas não desse jeito”, acrescentou Stela. “Queremos a retirada do regime de urgência do projeto e a análise dos técnicos da Corsan. Não compactuamos com a falta de transparência. Estamos aqui para garantir a lisura deste processo”, sustentou a parlamentar.

O projeto, de acordo com a deputada não possuía análise técnica da própria Corsan. “A Corsan não foi ouvida. E por que a equipe técnica da empresa não foi ouvida”, reclamou.

 

 

Fonte: CUT-RS com Assembleia Legislativa