Central Única de Trabalhadores

Sem repasses do seguro-defeso pelo INSS, pescadores gaúchos passam fome

4 janeiro, sexta-feira, 2019 às 1:12 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Pescadores2

Pescadores2

Mais de 2 mil pescadores do Litoral Norte do Rio Grande do Sul estão passando por dificuldades financeiras e até passando fome, devido ao atraso nos repasses do seguro-defeso,  benefício temporário criado em 1991 e concedido pelo INSS durante o período de reprodução de peixes,  quando a pesca comercial é proibida no território nacional.

Conforme a Federação dos Pescadores do Rio Grande do Sul, desde novembro os recursos foram trancados pelo governo Temer, alegando a informatização do sistema da Previdência Social, projeto sancionado pelo presidente golpista, em 2017. O governo Bolsonaro, empossado na última terça-feira (1º), ainda não se manifestou.

“A situação é muito preocupante, são centenas de famílias gaúchas passando necessidades e nenhuma previsão quanto à liberação dos seguros por parte do governo. Se analisarmos em âmbito nacional, o cenário é ainda pior: mais de um milhão de pescadores aguardam uma solução para o problema”, denuncia Ivan Vasconcellos, presidente da entidade.

“Em Santa Catarina, ocorreram casos de pescadores que não conseguiram sacar o seguro devido ao estorno dos valores.  Isso não acontecia quando o repasse do benefício era feito manualmente”, destaca  o dirigente sindical.

Frente parlamentar já notificou INSS sobre atraso nos repasses

Em 20 de dezembro, o deputado estadual  Zé Nunes (PT), presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Pesqueiro da Assembleia Legislativa, encaminhou um ofício ao gerente executivo do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) de Canoas, Luiz Antonio Rocha, que é responsável pela região que compreende os balneários do Litoral Norte.

Nunes

O deputado cobrou providências imediatas da representação do INSS, a fim de agilizar o pagamento do seguro. De acordo com dados do INSS, 4.447 famílias gaúchas dependem do benefício para garantir o seu sustento durante o período de desova de diversas  espécimes de peixes.

Mobilização dos pescadores

“A categoria já está se mobilizando, pois, se nos próximos dias os repasses não forem regularizados, vamos iniciar uma série de protestos em frente às agências do INSS”, avisa o sindicalista que está indignado pelo descaso com os pescadores.

 

 

Fonte: CUT-RS