Central Única de Trabalhadores

Salário mínimo necessário deveria ser R$ 3.940,41 em novembro, calcula Dieese

6 dezembro, terça-feira, 2016 às 9:48 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Cesta básica

 

Cesta básica

O Dieese calculou em R$ 3.940,41 o salário mínimo necessário para as necessidades básicas de um trabalhador e sua família, valor 4,48 vezes o oficial (R$ 880). Em outubro, a proporção foi de 4,56.

No mês passado, o tempo médio necessário para adquirir os produtos da cesta foi de 100 horas e 56 minutos, ante 103 horas e 48 minutos em outubro. O trabalhador remunerado por salário mínimo comprometeu 49,87% da renda com a cesta básica, um pouco menos do que no mês anterior (51,29%).

“Em novembro, houve predominância de queda no preço do leite integral, feijão, tomate e também da batata, pesquisada no Centro-Sul”, informa o Dieese. “Já o café em pó, o açúcar e a carne bovina de primeira tiveram aumento de valor na maior parte das cidades. O preço do leite diminuiu em todas as capitais, exceto em Brasília, onde ficou estável.”

Porto Alegre tem cesta básica mais alta do país

O preço da cesta básica caiu, em novembro, em 25 das 27 capitais brasileiras, segundo pesquisa do Dieese. As exceções foram na região Norte: Macapá, com alta de 0,13%, e Rio Branco (0,37%). As principais quedas ocorreram em Boa Vista (-7,35%), Recife (-5,10%), Cuiabá (-4,68%), Salvador (-4,48%), Belo Horizonte (-4,20%) e São Paulo (-4,08%).

No acumulado do ano, o comportamento é inverso, com elevação em todas as cidades. Os destaques são Maceió (22,95%), Rio Branco (22,44%), Aracaju (20,53%) e Fortaleza (18,62%). Segundo o Dieese, os menores aumentos ocorreram em Recife (5,76%), Manaus (7,18%), Curitiba (7,55%) e São Paulo (7,72%).

Os menores valores médios foram anotados em Recife (R$ 353,08) e Natal (R$ 354,59).

A mais cara foi a de Porto Alegre (R$ 469,04), seguida das de Florianópolis (R$ 466,25) e São Paulo (R$ 450,39).

 

 

Fonte: Rede Brasil Atual (RBA)