Central Única dos Trabalhadores

RS vive pior momento da pandemia com mais de 12 mil mortes e falta de leitos nos hospitais

25 fevereiro, quinta-feira, 2021 às 9:15 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Hospital lotado

Hospital lotado

BdF – Na véspera de completar um ano da pandemia no país, o Rio Grande do Sul vive o pior momento da circulação do vírus no estado. O estado registrou 120 óbitos nas últimas 24 horas pela covid-19, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado no final da tarde desta quinta-feira (25). Já são 12.149 vidas perdidas no território gaúcho em função da doença.

O RS também registra 624.831 infectados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia, com a confirmação de 5.810 novos casos pela SES. Dos infectados até o momento, 587.743 (94%) são considerados recuperados e 24.878 (4%) estão em acompanhamento.

De acordo com a SES, Porto Alegre foi a cidade com o maior número de vítimas fatais, sendo 15 óbitos, seguida de Canoas (10), Rio Grande e Sapucaia do Sul, com 8 óbitos cada. Novo Hamburgo (6), Passo Fundo (5), Sapiranga (4). Pelotas, Gravataí, Alvorada e Esteio, 3 cada. São Leopoldo, Guaíba, Teutônia e Imbé, com 2 óbitos cada. 

Nenhuma outra cidade teve registro de mais de uma vítima fatal nesta quinta. Dos 497 municípios gaúchos, apenas 56 não têm registro de vítimas fatais.

Suspensão do sistema de cogestão

Diante o agravamento da pandemia no estado, o governo anunciou a suspensão do sistema de cogestão regional do Distanciamento Controlado. A medida vale a partir deste sábado (27), até o dia 7 de março. Com isso, as regiões devem seguir os protocolos orientados para a sua região, determinados pelo governo do estado.

Centro de Operações em Emergência (COE), do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), publicou um alerta máximo à população gaúcha nesta quinta-feira sobre o aumento da transmissão da covid-19 no Rio Grande do Sul. O documento recomenda e reafirma ações efetivas que possam diminuir a transmissibilidade do coronavírus a partir do comportamento individual e coletivo na sociedade gaúcha. 

Entre as medidas estão: ficar em casa, respeitar o distanciamento físico de dois metros entre pessoas que moram em casas diferentes; evitar/não realizar reuniões públicas, viagens ou atividades não essenciais; identificar e isolar pessoas sintomáticas ou casos suspeitos da covid-19, testar pessoas sintomáticas ou contactantes de forma ativa e oportuna e garantir isolamento de todas as pessoas com caso suspeito ou confirmado.

Situação das UTIS se agrava ainda mais 

A ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em Porto Alegre segue em alta, chegando a 96,16% nesta quinta-feira (25). O Hospital Moinhos de Vento ultrapassou sua capacitada, com ocupação em 107,58%. Os hospitais São Lucas, Vila Nova, Restinga e Santa Ana estão com as UTIs em lotação máxima. Sete hospitais estão com lotação superior a 90%, quatro com com 80% ou mais de ocupação. Apenas o Hospital Porto Alegre está com a ocupação abaixo de 80%.

A Capital registrou hoje o maior números de internados em estado grave desde o início da pandemia, ultrapassando 400. Entre os 802 pacientes internados em UTIs na cidade, 408 têm covid-19 confirmada, 59 têm suspeita da doença, e 113 tem covid confirmada e estão na emergência aguardando por um leito.

Pressão por leitos em todo o estado

Em todo o Rio Grande do Sul, seguido tendência de aumento de internações nos últimos dias, às 18h desta quinta a ocupação de leitos de UTI estava em 91,4%. São 2.475 pacientes em 2.708 leitos de UTI. Entre os internados, 1.315 (53,1%) têm covid-19 confirmada e 179 têm suspeita da doença. 

A ocupação dos leitos privados ultrapassou seu esgotamento, tendo 101,8% de ocupação. Já no Sistema Único de Saúde, a ocupação está em 87,5%%.

As macrorregiões da Serra, Metropolitana e Centro-Oeste estão com taxas de ocupação de leitos de UTI acima de 90%, tendo 93,4% , 93,7% e 90,6%, respectivamente. 

Diante de uma ocupação superior a 90% dos leitos de UTI no RS e de números que aumentam a cada novo dia, a SES acionou nesta, quinta-feira, o último nível da fase 4 do Plano de Contingência Hospitalar montado no início da pandemia. Com isso os hospitais devem utilizar todos os espaços para atender casos de covid-19.  

“A partir de agora, os hospitais gaúchos, entre públicos e privados, têm o compromisso de disponibilizar toda a sua estrutura para atendimento de casos de covid-19, porque estamos na fase mais crítica, que precisa de atitudes mais drásticas”, explicou a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

Vacinação 

O governo do estado recebeu até o momento 923.600 doses da vacina contra a covid-19. Conforme balanço do governo estadual, já foram distribuídas 702.143 vacinas referentes à 1ª dose e a 2ª dose. Até as 18h de hoje (25), 534.196 pessoas foram imunizadas, sendo 441.841 com a primeira dose e 92.355 com a segunda dose.

No Brasil já foram vacinados 6.261.949  pessoas com a primeira dose e 1.692.023 com a segunda, totalizando 7.953.972 doses aplicadas, de acordo com a plataforma CoronavirusBot

Para coibir que pessoas fora dos grupos prioritários da campanha de vacinação contra a covid-19 sejam vacinados indevidamente, a Secretaria da Saúde e o Ministério Público do Estado lançaram um formulário para denúncias de possíveis “fura-filas” da vacina. O formulário pode ser acessado aqui. 

País tem novo recorde de vítimas fatais

O Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) registrou, em boletim publicado nesta sexta-feira, 1.541 óbitos e 65.998 infectados em todo o país. Com isso, o Brasil já soma 251.498 mortes e 10.390.461 contaminados pelo novo coronavírus. 

Leia mais

CUT-RS e centrais exigem vacina já para todos em manifesto entregue no Palácio Piratini 

 

 

Fonte: Brasil de Fato