Central Única de Trabalhadores

Relembre como votaram os deputados federais gaúchos durante governo Temer

14 setembro, sexta-feira, 2018 às 1:22 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Congresso Nacional1

Congresso Nacional1

Sul21 - Você sabe como os deputados federais do Rio Grande do Sul votaram no impeachment de Dilma Rousseff (PT) e em projetos importantes durante os anos de governo de Michel Temer (MDB)? Incluindo suplentes que ocuparam cadeiras na Câmara durante essas votações e excluindo outros que, por diferentes razões, não participam desse pleito — como o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB) –, 32 estão pedindo o seu voto novamente, seja para reeleição ou para outros cargos.

Para ajudar os eleitores a se situarem dentro do quatro político e eleitoral, o portal Sul21 fez um levantamento de como cada parlamentar se posicionou em oito momentos. Abaixo, uma explicação sobre os projetos em questão e, posteriormente, a tabela com os votos.

Reforma Trabalhista

Em 26 de abril de 2017, a Câmara aprovou, por 296 votos a favor e 177 contrários, texto-base da Reforma Trabalhista, que viria a ser confirmado pelo Senado. Tornada lei, a reforma alterou artigos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), autorizando, por exemplo, que a negociação coletiva prevaleça sobre a lei, extinguindo a contribuição sindical obrigatória e enfraquecendo a Justiça do Trabalho, entre outras medidas.

PEC do Teto

Em 10 de outubro de 2016, a Câmara aprovou o texto-base da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, que depois viria a ser a Emenda Constitucional 95, em primeiro turno. Foram 366 votos a favor 111 contrários. Em 26 de outubro, ocorreu a aprovação em segundo turno. A medida limita o crescimento dos gastos federais por 20 anos à inflação acumulada pelo IPCA.

Terceirização irrestrita

Em 22 de março de 2017, a Câmara aprovou, por 231 votos a favor e 188 contrários, o projeto de lei que autoriza a terceirização irrestrita para qualquer atividade, regulamentando o que antes estava limitado apenas às chamadas atividade-meio, isto é, aquelas que não são as finalidades principais de uma empresa. A terceirização teria mais regras modificadas com a Reforma Trabalhista.

Pré-sal

Com 292 votos a favor e 101 contrários, a Câmara aprovou, em 5 de outubro de 2016, o PL 4567, desobrigando a Petrobras de ser a operadora de todos os blocos de exploração do pré-sal no regime de partilha de produção, o que significou a flexibilização da exploração de petróleo no País.

Impeachment Dilma

Em 17 de abril de 2016, a Câmara dos Deputados autorizou o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Com o placar de 367 votos a favor e 146 contra, os deputados abriram o caminho para que o Senado confirmasse o afastamento quatro meses mais tarde.

Denúncia contra Temer 1

Em 2 de agosto de 2017, a Câmara aprovou o relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que pedia a rejeição da denúncia da Procuradoria Geral da República contra Michel Temer pelo crime de corrupção passiva, o que poderia levar ao seu afastamento. Foram 263 votos a favor do relatório e 227 contra — na tabela abaixo, “Sim” representa quem votou pelo prosseguimento da denúncia e “Não” os contrários.

Denúncia contra Temer 2

Dois meses depois, em 25 de outubro, a Câmara rejeitou a segunda denúncia da PGR, que dizia respeito aos crimes de organização criminosa e obstrução da Justiça. Foram 251 votos contra a aceitação da denúncia e 233 favoráveis.

Intervenção Federal 

Em 20 de fevereiro de 2018, a Câmara aprovou, por 340 votos a 72, o decreto presidencial autorizando a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, que determinou o envio de tropas das Forças Armadas para atuarem com poder de polícia no Estado.

Leia também

Relembre como votaram os deputados estaduais do RS que disputam as eleições em 2018

Confira como votaram os deputados federais que são candidatos

Deputado federal Partido Reforma trabalhista PEC do Teto Terceirização Pré-Sal Imp. Dilma Den. Temer 1 Den. Temer 2 Intervenção RJ
Afonso Motta PDT Não Não Não X Não Sim Sim X
Alceu Moreira MDB Sim Sim Sim Sim Sim Não Não X
Assis Melo PCdoB X X Não X X X X X
Cajar Nardes PODE Sim Sim Sim Sim X Não Não Sim
Carlos Gomes PRB Sim Sim Sim X Sim Não Não Sim
Covatti Filho PP Sim Sim X Sim Sim Não Não Sim
Danrlei PSD Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim X
Dionilso Marcon PT Não Não Não Não Não Sim Sim Não
Elvino Bohn Gass PT Não Não Não Não Não Sim Sim Não
Giovani Cherini PR X Sim X Sim Sim X Não Sim
Heitor Schuch PSB Não Não X Não Sim Sim Sim X
Henrique Fontana PT Não Não Não Não Não Sim Sim Não
Jerônimo Goergen PP Sim Sim Sim X Sim Sim Sim X
Jones Martins MDB Sim Sim Sim Sim X X Não Sim
José Fogaça MDB Não Sim Não Sim Sim Não Não Sim
José Luiz Stedile PSB Não Não Não Sim Sim Sim Sim Sim
José Otávio Germano PP X Sim X X Sim Não Não Sim
João Affonso Hamm PP Sim Sim Não Sim Sim Sim Sim Sim
João Derly REDE Não X Não Não Sim Sim Sim Sim
Luis Carlos Heinze PP Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim
Marco Maria PT Não Não Não Não Não Sim Sim Não
Maria do Rosário PT Não X Não X Não Sim Sim Não
Mauro Pereira MDB Sim Sim Sim Sim Sim Não Não Sim
Onyx Lorenzoni DEM Sim Sim X Sim Sim Sim Sim Sim
Osmar Terra MDB X X X X Sim Não X X
Paulo Pimenta PT Não X Não Não Não Sim Sim Não
Pepe Vargas PT Não Não Não Não Não Sim Sim Não
Perondi MDB Sim Sim Sim Sim Sim Não Não Sim
Pompeo de Mattos PDT Não X Não Não X Sim Sim X
Renato Molling PP Sim Sim Sim X Sim Não Não Sim
Ronaldo Nogueira PTB Sim X X X Sim Não Não Sim
Yeda Crusius PSDB Sim Sim Sim X X Não X Sim

 

 

Fonte: Luis Eduardo Gomes – Sul21