Central Única dos Trabalhadores

Recordista em casos de Aids, Porto Alegre lança campanha de prevenção contra a doença

2 dezembro, quarta-feira, 2015 às 1:04 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Chalé

Chalé

No Dia Mundial de Luta contra a Aids, a Prefeitura de Porto Alegre lançou nesta terça-feira (1º) a campanha Aids. Uma luta de todos. A ação, que ocorrerá até esta quarta-feira (2), na Praça da Alfândega, conta com teste rápido de HIV, com resultados na hora. Além deste, serão realizados exames de sífilis e hepatite C. O prefeito José Fortunati participou do lançamento. A campanha durante todo mês de dezembro e tem como objetivo a conscientização sobre o HIV, assim como o repúdio a discriminação aos soropositivos.

A estrutura montada no Centro Histórico da cidade funcionará das 9h às 18h, com sete consultórios para atender à população, que terá acesso a esclarecimentos e preservativos disponíveis em dispensers colocados na Praça da Alfândega, Paço Municipal e Esquina Democrática (avenida Borges de Medeiros com rua dos Andradas). Também haverá três consultórios com testagem rápida no Grupo Hospitalar Conceição, na zona Norte da cidade. Caso seja detectada a presença do vírus, o paciente é encaminhado para a rede de atenção básica e serviço especializado do município.

Fortunati falou da importância da campanha para romper com o preconceito do teste do HIV. “Infelizmente, ele está presente na nossa sociedade, mas hoje existem métodos muito fáceis para detectar a doença e ao mesmo tempo fazer com que a pessoa possa tomar os medicamentos adequados”, disse o prefeito. Fortunati salientou, ainda, que os dois dias na Praça da Alfândega objetivam chamar a atenção pelo Dia Mundial contra a Aids, porque a população pode ter acesso ao exame em todas as unidades básicas de saúde da cidade.  “Estamos aqui porque muitas vezes as pessoas desconhecem essa possibilidade, então é nosso dever divulgar os serviços que a prefeitura presta em favor de uma melhor qualidade de vida do cidadão”, afirmou.

No local, telões mostram o depoimento de pessoas que lutam contra a doença, como é o caso de José Vicente Salvamora, 61 anos, que convive com o vírus há 28 anos. “Luto contra a Aids transmutando a ignorância em força para viver. O preconceito e a grande doença social da atualidade. Recebi a notícia como um atestado de óbito e procurei atendimento para ficar bem, como estou hoje. Aprendi a cuidar a minha saúde”, declarou o artista plástico.

Na Semana de Luta contra a Aids, para incentivar a conversa sobre a doença, foi produzido um baralho temático no estilo do jogo Table Topics. O baralho será distribuído em bares, restaurantes, cafés e ficará nas mesas para gerar interação. Serão enviados como press kit para veículos de comunicação, locutores de rádio, colunistas e outros formadores de opinião. Também serão enviados às escolas, para serem usados como atividade educativa.

Porto Alegre é a capital e cidade brasileira com as mais altas taxas de detecção de casos de Aids nos últimos seis anos, sendo que, em 2014, foram registrados 90,3 casos por 100 mil habitantes. Apesar disso, a cidade apresenta uma leve tendência de queda da incidência da doença. Entretanto, a Capital mantém média de 1.250 novos casos por ano, de acordo com dados da Equipe de Vigilância de Doenças Transmissíveis da SMS.

Em crianças menores de cinco anos, a taxa de incidência é de 12,7 casos por 100 mil habitantes. Apesar das quedas registradas na mortalidade, a taxa em 2014 é de 28,38 óbitos para cada 100 mil habitantes.

A notificação do HIV foi instituída nacionalmente em junho de 2014, mas, na capital gaúcha, começou em março de 2013, possibilitando o conhecimento mais precoce dos casos e o acompanhamento da infecção.

A razão de sexo é de 1,8 casos em homens para cada mulher com Aids; no que se refere à faixa etária, a Capital concentra o maior número de casos em pessoas de até 39 anos, mas com crescimento nas faixas de 13 a 29 e acima de 60 anos. Em relação às categorias de exposição, os heterossexuais apresentam índices mais altos comparativamente às demais regiões do país, mas observa-se novamente crescimento na categoria homo/bissexual e decréscimo acentuado em usuários de drogas injetáveis.

Total acumulado 1983 a 31/6/2015

27.278 casos

96,5% casos em adultos

3,5 % casos em crianças

Total de casos novos em 2014: 1.266 casos

Taxa de detecção Aids 2013:   96,28 casos por 100 mil habitantes

Taxa de detecção Aids 2014: 90,30 casos por 100 mil habitantes

Taxa de detecção em menores de cinco anos 2014: 12,72 casos por 100 mil habitantes

Razão de Sexo 2013: 1,5 casos em homens para cada mulher

Razão de Sexo 2014: 1,8 casos em homens para cada mulher

Transmissão Vertical 2012: 2,9%

Coeficiente de Mortalidade 2014: 28,38 casos por 100 mil habitantes

 

Fonte: Sul21