Central Única de Trabalhadores

Protestos dos trabalhadores pressionam deputados contra tarifaço do Sartori

22 setembro, terça-feira, 2015 às 10:22 am

Comentários    Print Friendly and PDF

Tarifaço 1

Mesmo com a chuva que não para no Estado, a CUT-RS, centrais sindicais e movimentos sociais realizam protestos nesta terça-feira (22) e pressionam os deputados a votar contra a aprovação do tarifaço e dos projetos neoliberais do governo Sartori (PMDB) na Assembleia Legislativa do RS.

Em Porto Alegre, depois de uma paralisação desde as 6h30 no entorno da Estação Rodoviária, que provocou enorme congestionamento no trânsito da cidade, os manifestantes saíram em caminhada até a Praça da Matriz, onde acontece uma grande concentração para cutucar os parlamentares a se posicionarem contra o aumento linear do ICMS.

Também ocorrem manifestações em várias cidades do interior do Estado, como Santa Cruz, Pelotas, Rio Grande, São Leopoldo e Gravataí, dentre outras.

As manifestações marcam a jornada estadual de greves, paralisações, atos e protestos, no dia em que o governo pretende aprovar na Assembleia Legislativa o projeto de tarifaço e outras medidas prejudiciais ao povo gaúcho, como a extinção de fundações, a lei de “responsabilidade fiscal” estadual, a redução de serviços públicos, como saúde, educação e segurança, e implantar mecanismos de gestão privada para cortar investimentos em políticas públicas, como na agricultura familiar, e precarizar o atendimento da população.

Pelotas

“Estamos mostrando toda a indignação dos trabalhadores do campo e da cidade e da sociedade gaúcha contra as políticas do Sartori e protestando contra o absurdo tarifaço que, se for aprovado pelos deputados, não resolverá a crise financeira do Estado, mas irá agravar o desemprego, a inflação e a economia do Rio Grande, prejudicando a produção e o consumo e penalizando a classe trabalhadora e a população”, aponta o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.

“Queremos alertar os deputados e as deputadas de que não podem neste momento virar as costas para quem os elegeu e votar a favor do tarifaço e de projetos do governo que são lesivos aos trabalhadores, aos servidores, aos serviços públicos  e ao povo gaúcho”, enfatiza.

Gravatai

Para Claudir, “Sartori deveria largar o pé do servidor, parar de estimular o caos para privatizar e, passados quase nove meses no Palácio Piratini, começar a governar o Estado tomando medidas concretas para cobrar os sonegadores, revisar as isenções e renúncias fiscais e renegociar a dívida com a União”.

O aumento linear de impostos é profundamente injusto, pois onera mais os pobres e os trabalhadores, os que mais pagam tributos no Estado e no País. “O Rio Grande e o Brasil precisam fazer uma reforma tributária pra valer. Quem ganha mais deve pagar mais”, propõe o presidente da CUT-RS para quem “os trabalhadores não podem pagar a conta da crise”.

Santa Cruz

Defesa do patrimônio público

O coordenador da CUT Metropolitana, Carlos Pauletto, ressalta que “o governo Sartori se comporta como dono do patrimônio público e dá sinal de que quer retomar a agenda das privatizações. Só que esse patrimônio não é do PMDB, mas sim do povo gaúcho que ao longo da sua história o construiu com muita luta e sacrifícios”.

Ele salienta que “o que já foi privatizado, como a CRT e parte da CEEE, não resolveu o problema do Estado. Além do mais, cadê o dinheiro com a venda dessas estatais no governo Britto do PMDB?”, questiona.

Santa Cruz 1

 

Fonte: CUT-RS