Central Única de Trabalhadores

Protagonizado por mulheres, programa “Maravilha” é lançado em TV de Caxias do Sul

11 agosto, sexta-feira, 2017 às 6:20 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Maravilha

Maravilha1

Foi lançado na noite desta quinta-feira (10), o programa de televisão “Maravilha”. A pré-estreia da produção, que é desenvolvida e protagonizada por mulheres, foi no auditório do Sindicato dos Bancários de Caxias do Sul e Região, uma das entidades parceiras. Já a estreia foi às 22h30, quando o primeiro programa foi ao ar pela TV Caxias-Canal 14 da Net.

“Maravilha” é construído por um coletivo de mulheres dos movimentos sociais de Caxias do Sul e tem como força a pluralidade de visões para construir novos conceitos sobre a realidade.

O programa busca debater temas atuais, o que as mulheres enfrentam no cotidiano, conforme explica Ivanir Perrone, diretora do Departamento de Assuntos das Mulheres do Sindicato dos Comerciários de Caxias do Sul (SindiComerciários): “É um espaço, por exemplo, para as mulheres que moram nas comunidades e que não se enxergam na televisão, porque geralmente não há espaço para elas”, afirma.

Para Daniela Amoretti Finkler, coordenadora de imprensa do Sindicato dos Bancários, o programa tem por objetivo dar espaço prioritário para o olhar das mulheres sobre a sociedade: “A sociedade sempre passa primeiro a visão do homem. Aqui, buscamos dar espaço para o olhar das mulheres”, ressalta.

É importante valorizar esse espaço de debate, acredita Olga Neri de Campos Lima, que é apresentadora do “Maravilha” e também professora de literatura e coordenadora de comunicação do Sindicato dos Professores de Caxias do Sul (Sinpro/Caxias).

Maravilha2

“A mulher fez história, contribuiu e foi protagonista, mas praticamente não existe nos livros de história. A mulher está aí, tem questões que dizem respeito a essa realidade e tem condições, a partir de seu olhar, de sua perspectiva, de propor possibilidades de alternativas, de debate e construção”, afirma Olga. “O contraditório precisa ser visto e pensado e a mulher tem muito a contribuir com isso”, acrescenta, dando o tom do “Maravilha”.

Para Pedro Pozenato, presidente da TV Caxias, “o machismo e a violência contra as mulheres precisa ser estirpado e é inadmissível que os homens tratem as mulheres como propriedade”. Pedro afirmou que a TV Caxias investiu nesse projeto porque acredita que é um direito das mulheres ocuparem um espaço maior como protagonistas sociais.

“Não é um programa para uma temporada, queremos que ele permaneça na grade de programação da TV Caxias. Precisamos transformar a luta das mulheres em narrativas que traduzam esses fatos e sentimentos para a sociedade”, declarou.

Compareceram ao evento, além da grande equipe envolvida com a idealização e produção do programa, representações de diversos sindicatos de trabalhadores de Caxias do Sul, da União Brasileira de Mulheres (UBM), do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (COMDIM), da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), da Marcha Mundial de Mulheres, União da Juventude Socialista (UJS), do Movimento Negro, da União das Associações de Bairros (UAB), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o deputado Pepe Vargas (PT/RS) e representação do gabinete do deputado Assis Melo (PCdoB/RS).

Maravilha

O programa será veiculado semanalmente pela TV Caxias – Canal 14 da NET, às terças-feiras, às 22h30, com reprise às quartas-feiras, às 9h30 e aos sábados, às 16h30.

Os próximos dois programas abordam a reforma trabalhista e a violência contra a mulher. O impacto da Reforma Trabalhista para as mulheres, que será exibido a partir de 22 de agosto, às 22h30, tema participação de Abgail Pereira, da União Brasileira de Mulheres (UBM), Vanius Corte, do Ministério do Trabalho e Elci Ferreira, do Sindicato do Vestuário e Calçado; e Combate à violência contra a mulher, que será exibido em 29 de agostoconta com as presenças de Thais Norah Postiglione, delegada de polícia, Maria ElaeneTubino, psicóloga, e Nathane Angeli, estudante.

 

 

Fonte: Sinpro-Caxias