Central Única de Trabalhadores

O golpe é contra os trabalhadores e o Brasil – Ademir Wiederkehr

30 março, quarta-feira, 2016 às 5:59 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Ademir

Ademir-entrevistado1

Se ainda pairava alguma dúvida, tudo ficou bem claro com o embarque das federações empresariais na aventura do golpe do impeachment da presidenta Dilma Rousseff. O que levou o grande empresariado a pedir o afastamento de uma mulher reeleita democraticamente com 54 milhões de votos e sem nenhum crime de responsabilidade?

Certamente não foi o combate à corrupção. Nunca houve como atualmente tantas operações da Polícia Federal (PF), tantas investigações do Ministério Público e tantas prisões de suspeitos de praticar crimes. Isso ocorre graças a leis aprovadas nos governos Lula e Dilma, que ampliaram a atuação dos agentes públicos. É preciso apurar e punir todos os culpados, sem poupar ninguém.

Aliás, a corrupção nunca preocupou as elites brasileiras. A roubalheira é histórica no País. A sonegação de impostos, por exemplo, foi banalizada e não se vê nenhuma entidade empresarial fazendo campanha para extinguir essa prática. Por que será? Não foi à toa que a PF deflagrou a Operação Zelotes, que investiga um esquema milionário de corrupção de empresas autuadas por sonegação fiscal e previdenciária.

O que está movendo os golpistas não é apenas tirar a presidenta e inviabilizar a volta de Lula em 2018, mas é a aprovação de projetos que retiram direitos dos trabalhadores, como o que prevê a terceirização sem limites e o que estabelece a prevalência do negociado sobre o legislado, dentre outros. Querem acabar com a CLT e ainda entregar o pré-sal e o petróleo para as multinacionais. Sem a resistência do governo Dilma e com o perfil conservador do Congresso, fica mais fácil o ataque do capital para precarizar o trabalho, reduzir custos e aumentar os lucros.

Por isso, centrais sindicais e demais entidades comprometidas com a classe trabalhadora estão na luta em defesa da legalidade e da democracia, como forma de proteger as leis trabalhistas, os programas sociais e o patrimônio público. O golpe é contra os trabalhadores e o Brasil.

 
Ademir Wiederkehr
Secretário de Comunicação da CUT-RS

 

Fonte: Jornal do Comércio