Central Única dos Trabalhadores

Parlamentares vão ao MPF e TSE contra fala de Bolsonaro sobre fraude nas eleições

8 janeiro, sexta-feira, 2021 às 10:24 am

Comentários    Print Friendly and PDF

Urna confirma

Urna confirma

RBA - Senadores e deputados do PT e do Pros ingressaram nesta quinta-feira (7) com representação junto ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). E cobram providências legais diante da “grave declaração” de Jair Bolsonaro, sobre uma suposta fraude eleitoral ocorrida em 2018 – e que sua eleição para o cargo de presidente da República teria se dado no primeiro turno do processo eleitoral. Para os autores das representações, ao dizer que teria sido “roubado”, Bolsonaro colocaria em suspeição as eleições de 2018.

Os documentos ao MPF e ao TSE são assinados pelos senadores petistas Rogério Carvalho (SE), Humberto Costa (PE), Jaques Wagner (BA), Jean Paul Prates (RN), Paulo Paim (RS), Paulo Rocha (PA); Zenaide Maia (Pros-RN); e pelos deputados federais Enio Verri e Gleisi Hoffmann (ambos do PT do Paraná).

“E na data de ontem [refere-se à quarta-feira], em face dos acontecimentos lamentáveis nos EUA, de invasão do Parlamento, o Presidente da República, em manifestação inadmissível, ameaça de alguma forma que em 2022, nas eleições ‘Se nós não tivermos o voto impresso em 22, uma maneira de auditar o voto, nós vamos ter problema pior que os Estados Unidos’”, ressaltam.

Os parlamentares pedem que Bolsonaro seja ouvido no procedimento investigatório sobre a fraude eleitoral “para que ratifique sua declaração e, notadamente, que apresente as provas que afirma possuir sobre tais fatos, sob pena de desmoralização completa das instituições democráticas no Brasil”.

Fraude eleitoral

Eles lembram, ainda, que as falas reiteradas de Bolsonaro contra o processo eleitoral brasileiro “só estão acontecendo pela reiterada inércia dos órgãos de controle”. Os mesmos parlamentares ingressaram em março de 2020 com representação semelhante. As declarações anteriores de Bolsonaro sobre supostas fraudes nas eleições de 2018 estão descritas nas representações.

No ano passado, em março, Bolsonaro afirmou que apresentaria provas “em breve” de que sua eleição teria se dado em primeiro turno. Mas isso nunca aconteceu.

Apesar de jamais ter sido comprovada qualquer fraude com o uso das urnas eletrônicas, Bolsonaro quer a volta do voto impresso no Brasil. Auditáveis, as urnas eletrônicas são usadas no Brasil desde 1996. Assim, já foram seis as eleições pelas quais Jair Bolsonaro foi escolhido via urnas eletrônicas.

 

Fonte: Rede Brasil Atual (RBA)