Central Única de Trabalhadores

Para OAB, maioria quer eleição sem influência do poder econômico

30 setembro, quarta-feira, 2015 às 5:03 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

images|cms-image-000458905

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcus Vinícius Furtado Coêlho, disse nesta quarta-feira, 30, que espera que o Congresso Nacional mantenha o veto da presidente Dilma Rousseff ao trecho da Lei da Reforma Eleitoral que liberava as doações de empresas em campanhas eleitorais, em consonância com a decisão do Supremo Tribunal Federal.

“Não podendo fazer outra coisa se não seguir a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), a presidente Dilma Rousseff vetou trechos da minirreforma política, em especial o artigo que possibilitaria o inconstitucional investimento empresarial em campanhas”, declarou Marcus Vinícius Coêlho. Para Marcus Vinícius a ‘ampla maioria da população quer eleições sem a influência do poder econômico já em 2016′.

O Ministério da Justiça e a Advocacia-Geral da União (AGU) se manifestaram ao Senado pelos vetos ao financiamento empresarial a campanhas e políticos por entenderem que ‘a possibilidade de doações e contribuições por pessoas jurídicas a partidos políticos e campanhas eleitorais confrontaria a igualdade política e os princípios republicano e democrático, como decidiu o Supremo Tribunal Federal na Ação Direita de Inconstitucionalidade proposta pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil’.