Central Única dos Trabalhadores

Não seremos cobaias da política de morte de Eduardo Leite, alerta CPERS

12 agosto, quarta-feira, 2020 às 6:48 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Escolas fechadas na hori

Escolas fechadas na hori

O governador Eduardo Leite (PSDB), que há muito abriu mão de controlar a pandemia, apresentou à Famurs uma proposta de retomada das aulas presenciais inteiramente fantasiosa e ofensiva.

Contrariando os resultados da própria consulta – realizada em julho com Secretarias, conselhos municipais e entidades empresariais -, pretende reabrir escolas começando pela educação infantil, no dia 31 de agosto.

Em duas semanas, 14 de setembro, voltaria o Ensino Superior. No dia 21, Ensino Médio e Técnico. No 28, anos finais da Educação Fundamental. E, no dia 8 de outubro, os anos iniciais.

Não apenas a pandemia está distante do pico como se alastra de forma acelerada no estado, com casos e óbitos crescendo dia a dia. O consenso científico, ao contrário das opiniões do governador, não mudou desde o primeiro fechamento das escolas: isolamento social é a única forma de conter o avanço da Covid-19.

Com efeito, não existe qualquer evidência de que o estado e o país tenham condições de retomar as atividades. Estudos em diversas nações demonstram que as escolas são ambientes especialmente suscetíveis a surtos da doença.

Escolas fechadas1

O grande número de educadores(as) que pertencem a grupos de risco e a falta de estrutura e de recursos da rede pública para cumprir protocolos de segurança agravam o quadro.

Análise do Dieese baseada nas redes públicas e privadas de todos os níveis de ensino demonstra que reabrir as instituições colocaria 3,5 milhões de gaúchos na linha de frente de contágio.

Destes, 500 mil são idosos que vivem na mesma residência de estudantes e docentes. Colocar este imenso contingente em movimento, ou mesmo parte dele, equivaleria a armar bombas biológicas em todo o estado.

Mas a experiência mostra que Eduardo Leite é mais sensível à pressão econômica do que à razão científica ou à urgência de preservar vidas. A categoria deve estar atenta e se preparar para resistir às tentativas de expor a comunidade escolar a uma pandemia mortífera e fora de controle.

Não seremos cobaias deste experimento macabro. #EscolasFechadasVidasPreservadas!

Assista ao vídeo da presidente do CPERS!

Mostre que você é contra a reabertura das escolas neste momento. Clique no link e atualize sua foto de perfil no Facebook com o tema “Escolas Fechadas, Vidas Preservadas”: https://bit.ly/33TcHoV 

 

Fonte: CPERS Sindicato