Central Única de Trabalhadores

“Não é reforma da Previdência, é ajuste fiscal na conta do trabalhador“, afirma ex-ministro Carlos Gabas em Porto Alegre

12 abril, sexta-feira, 2019 às 11:28 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Gabas fala2

Gabas fala

“Bolsonaro não propôs uma reforma da Previdência, é ajuste fiscal na conta do trabalhador, Não trata de privilégios, não mexe com o andar de cima, só tira direitos de pobres”, afirmou o ex-ministro da Previdência Social nos governos Lula e Dilma, Carlos Gabas, durante aula pública no início da noite desta sexta-feira (12), no plenário da Câmara Municipal de Porto Alegre.  “Os trabalhadores são responsáveis pelo déficit fiscal? É claro que não”, destacou.

Após detalhada exposição, o assessor da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM-CUT) e comentarista da TVT, José Lopez Feijóo, fez comentários. Depois, houve perguntas e respostas.

O evento, promovido pela CUT-RS em parceria com a CTB e a Intersindical, foi coordenado pela secretária de Formação da CUT-RS, Maria Helena de Oliveira.

Também compareceram o deputado federal Dionilso Marcon (PT) e o vereador Carlos Comassetto (PT), bem como dirigentes sindicais de várias categorias, trabalhadores e aposentados.

Comassetto

Vereador Carlos Comassetto (PT) falou em defesa da Previdência Pública.

Gabas resgatou a história da Previdência no Brasil, consolidada na Constituição de 1988, dentro da visão europeia do estado de bem-estar social. “O capitulo da Seguridade Social foi um dos maiores avanços”, enfatizou.

Previdência não quebrou

“O Paulo Guedes (ministro da Economia) é um despreparado, um tosco, não entende de gente”, criticou Gabas. Ele questionou a política de retirada de direitos desde o golpe de 2016, enquanto vem sendo concedidas isenções para “tubarões”, como às petroleiras no governo Temer.

“A Previdência não quebrou. Tem sustentabilidade. O déficit de hoje é conjuntural”, observou. “Não podemos acreditar em papai noel, em mula sem cabeça.”

Gabas fala1

“O que está em disputa no Congresso Nacional é o modelo de estado brasileiro, o modelo de país. Se o Brasil vai proteger o pobre com o orçamento da União e vai cumprir o seu papel, ou se o orçamento vai ser utilizado para acumular recursos para o capital especulativo“, disse o ex-ministro.

Para Gabas, “o governo não tem nada de maluco, é desprovido de humanidade, justiça e democracia, mas segue uma lógica. Eles governam com diversionismo, mas ao mesmo tempo estão desgraçando o país, liberando agrotóxicos e entregando pré-sal a preço de banana”.

Gabas fala2

Reforçar a resistência

O assessor da CNM-CUT salientou que os golpistas derrubaram a Dilma para implantar um projeto. “O Brasil não tem elite, mas uma classe dominante, que é escravagista, colonial, de negócios.”  Para Feijóo, “é um projeto para se apossar da riqueza nacional para ganhar dinheiro”.

Feijóo fala

“Eles querem reverter tudo o que conquistamos”, alertou o comentarista da TVT. “Nós precisamos reconstruir e reforçar a resistência. Vai precisar muita luta para derrotar essa reforma e recuperar a soberania nacional.”

“O alento é vamos à luta”, concluiu.

Assista à transmissão da aula pública!

 

 

Fonte: CUT-RS