Central Única dos Trabalhadores

Motoristas de aplicativos no RS paralisam contra baixa remuneração e querem revisão das tarifas

23 fevereiro, terça-feira, 2021 às 6:56 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Uber na luta1

Uber na luta1

Motoristas de aplicativos (Uber, 99, Cabbify e Indriver) no Rio Grande do Sul realizaram uma paralisação de 24 horas nesta terça-feira (23) em protesto contra a baixa remuneração. Eles pararam as operações de viagens e tomaram as ruas em carreatas, reivindicando o reajuste do valor do quilômetro rodado e o fim dos serviços Uber Promo e 99 Poupa. 

As carreatas começaram em torno das 6h30 desta manhã em Porto Alegre, Santa Maria, Viamão, Canoas, Novo Hamburgo, Guaíba e Eldorado do Sul.

Na capital gaúcha ocorreram várias concentrações, como no Porto Seco, na Zona Norte, com a presença do presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci, e do secretário de Organização e Política Sindical da CUT-RS, Claudir Nespolo.

Os participantes seguiram até a sede da Uber, na Avenida Carlos Gomes, com muito buzinaço por onde passaram, chamando a atenção da sociedade. 

Revisão de tarifas

Tarifas defasadas

“Desde que as empresas estão em atividade em Porto Alegre, tivemos aumentos dos combustíveis, aumento de seguro de veículos, aumento do aluguel de automóvel, aumento da manutenção dos carros e aumento dos rastreadores. E as tarifas pagas aos motoristas só baixaram”, denunciou a secretária-geral do Sindicato dos Trabalhadores por Aplicativos do Rio Grande do Sul (Simtrapli-RS), Carina Trindade.

Por isso, a principal reivindicação da categoria é o aumento do valor das tarifas. "Há cinco anos, quando tudo começou com a Uber em Porto Alegre, a remuneração mínima era de R$ 1,25 por quilômetro rodado. Hoje, esse valor é de R$ 0,90 na Região Metropolitana e R$ 0,95 na Capital", disse o diretor da Associação Liga dos Motoristas de Aplicativos do Rio Grande do Sul (ALMA-RS), Robson Silveira.

Ele também afirmou que, com o aumento do custo, os combustíveis tomam 30% da remuneração dos motoristas. A situação ainda piorou com os sucessivos aumentos dos preços dos combustíveis. Já são quatro reajustes somente este ano, em menos de dois meses. Um absurdo!

WhatsApp Image 2021-02-23 at 09.16.16

Aumentos dos preços dos combustíveis

Na última semana, houve o quarto aumento do ano que elevou em torno de 10% o preço da gasolina. Em Porto Alegre, o litro do produto já chega a R$ 5,36. Isso é resultado da política desastrosa da diretoria da Petrobrás, implantada logo após o golpe de 2016, que beneficia os investidores e o mercado financeiro e prejudica o povo brasileiro.

"Antes, a plataforma levava um valor fixo de 25% das corridas, e 75% era nosso. Essa taxa hoje é variável, entre 15% e 40%. Então, se 40% de uma viagem for para a plataforma, mais os 30% do combustível, resta apenas 30% de renda para os motoristas", criticou Silveira.

Uber na luta

Fim do Uber Promo e do 99 Poupa

“Estou participando desse movimento e queremos a revisão de tarifas, porque, em vez de aumentar, tivemos uma baixa nos valores. Além disso, nós estamos reivindicando o fim do Uber Promo e do 99 Poupa”, apontou o motorista Marco Arruee, 

O diretor da ALMA-RS ressaltou que o Uber Promo e o 99 Poupa são modalidades que pagam apenas R$ 0,40 e R$ 0,60 por quilômetro rodado, respectivamente, aos trabalhadores. "Não cobre o custo. As plataformas colocaram isso para os momentos de baixa demanda, mas elas funcionam 24 horas. Os aplicativos não especificam para os motoristas, só aparece um valor reduzido", explicou Silveira.

Houve também paralisações em Florianópolis e no Rio de Janeiro, onde motoristas protestaram muito contra as promoções feitas pelas empresas. 

“Já faz cinco anos que os valores não são reajustados. Os profissionais estão pagando para trabalhar, tendo uma renda que basicamente só cobre os gastos com a gasolina”, resumiu Carina. 

Uber na luta2

Luta pela valorização do trabalho dos motoristas de aplicativos

O secretário de Organização e Política Sindical da CUT-RS acompanhou a mobilização desde as primeiras horas da manhã. “Estamos apoiando a luta pela valorização dessa categoria que está exigindo respeito e valorização no trabalho e se mobiliza contra a exploração que vem sofrendo”, afirmou 

Para Nespolo, “a CUT-RS não poderia estar em outro lugar, senão ao lado desses trabalhadores e trabalhadoras em mobilização para conquistar os seus direitos”.

Os motoristas ainda organizaram caronas para a doação de sangue no Hemocentro da Capital. “O gesto de solidariedade é fundamental diante do agravamento da pandemia e poderá salvar vidas”, destacou a secretária-geral do Simtrapli-RS.

Uber na luta3

Fonte: CUT-RS