Central Única de Trabalhadores

Metalúrgicos da Toyota aprovam acordo coletivo com validade de dois anos

13 junho, quarta-feira, 2018 às 10:29 am

Comentários    Print Friendly and PDF

Toyota2

Toyota2

Em assembleia realiza­da nesta terça-feira (12), os trabalha­dores na Toyota, em São Bernardo do Campo (SP), aprovaram a proposta de acordo coletivo negociada por dois anos pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC com a empresa.

“Defendemos o acordo por dois anos para dar tran­quilidade aos trabalhadores. O importante é sempre con­versar em todos os momen­tos, e é papel do Sindicato ser esse canal de diálogo com a empresa, conhecer a reali­dade na fábrica e propor um acordo possível na mesa ne­gociação”, afirmou o coorde­nador do CSE na Toyota, José Carlos de Souza, o Trovão.

O acordo garante a Partici­pação nos Lucros e Resulta­dos, a PLR, com o valor do ano passado corrigido pelo INPC, pago em duas parce­las, em junho e em dezembro deste ano. Para 2019, o valor deste ano será atualizado pela inflação.

A data-base, em setem­bro, terá a reposição da infla­ção pelo INPC incorporado aos salários até o teto de R$ 9.850. Para trabalhadores com salários acima do teto, haverá um valor fixo. No ano que vem, haverá correção pela inflação e o compro­misso da empresa discutir aumento real.

Vagnão

Os pisos salariais serão corrigidos pela inflação nos dois anos. As cláusulas so­ciais estão prorrogadas até setembro de 2019. O acordo ainda inclui a compensação dos dias em que a empresa ficou parada por conta da greve dos caminhoneiros.

Os companheiros apro­varam na assembleia a con­tribuição negocial aos não sócios do Sindicato. Quem se sindicalizar até o dia 12 de julho será isento da con­tribuição negocial. Procure a representação dos traba­lhadores.

O presidente do Sindi­cato, Wagner Santana, o Wagnão, reforçou a luta dos Metalúrgicos do ABC em defesa de um novo veículo na planta em São Bernardo.

Toyota1

“A Toyota se comprome­teu de novo a transformar esta planta em montadora de automóveis e nós vamos perseguir esse sonho, objeti­vo e estratégia do Sindicato. Insistimos e continuamos a defender um novo produto em São Bernardo, adequado às condições da região, com valor agregado maior”, disse.

Wagnão lembrou a sua ida à sede mundial da Toyota, no Japão, em julho do ano passado, quando reforçou o pedido do Sindicato, feito desde 2013, de voltar a mon­tar um veículo na região.

“Nós cobramos publi­camente e em todas as dis­cussões que temos com a empresa. Esperamos no fu­turo próximo voltar, realizar uma assembleia e dizer que a Toyota produzirá um veículo em São Bernardo”, concluiu.

 

 

Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos do ABC