Central Única de Trabalhadores

Metalúrgicos da CUT de São Paulo podem deflagrar greve nos próximos dias

29 setembro, terça-feira, 2015 às 1:15 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Metalúrgicos da CUT

Os metalúrgicos da CUT de São Paulo podem cruzar os braços nos próximos dias. Isso porque a Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM) protocolou, na última sexta-feira (25), comunicados de greve junto aos seis grupos patronais do setor: 2, 3, 8,10, Fundição e Estamparia de Metal.

O Grupo 2 é formado por fabricantes de máquinas e eletroeletrônicos. O Grupo 3, por autopeças, forjarias e fábricas de parafusos. O Grupo 8, por empresas de trefilação, laminação, refrigeração e equipamentos ferroviários, entre outros. Já o Grupo 10 reúne fábricas de lâmpadas, equipamentos odontológicos, iluminação e material bélico.

Segundo a FEM, a organização das paralisações ficará a critério dos sindicatos filiados, conforme previsto na Lei de Greve, assegurada no artigo 9º da Constituição Federal Brasileira.

Propostas até agora

A data-base da categoria é 1º de setembro e, das seis bancadas patronais que negociam com a FEM, apenas três apresentaram propostas de reajuste salarial. O Grupo 2 ofereceu 7% em duas vezes (setembro e fevereiro). O grupo de Estamparia propôs 8% também em duas parcelas. O Grupo 3 ofereceu 8% para salários até R$ 3 mil e 7% para salários acima de R$ 3 mil, até a faixa de R$ 7,6 mil.

As três propostas ficaram abaixo das perdas salariais causadas pela inflação dos últimos 12 meses, que estão em 9,88%, segundo o INPC/IBGE.

Os outros três grupos, Fundição, 8 e 10 não apresentaram propostas econômicas, nem concluíram as negociações sobre as cláusulas sociais da Convenção Coletiva da categoria.

Nos últimos dias, houve manifestações dos trabalhadores em diversas fábricas da base da FEM-CUT no Estado.

 

Fonte: CNM-CUT