Central Única de Trabalhadores

Marcha antifascista reúne milhares de pessoas contra Bolsonaro em Porto Alegre

11 outubro, quinta-feira, 2018 às 11:06 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Esquina lotada

Esquina lotada

Sul21 - Milhares de pessoas participaram, nesta quinta-feira (11), de marcha no Centro de Porto Alegre organizada pela Frente Povo Sem Medo. O ato, que iniciou na Esquina Democrática — entre a avenida Borges de Medeiros e a Rua dos Andradas — teve como propósito demonstrar repúdio ao candidato Jair Bolsonaro (PSL) e aos ataque feitos por seus apoiadores nos últimos dias.

A caminhada era guiada por uma faixa com os dizeres “Mulheres sem medo contra o fascismo”. Dentre as músicas entoadas, algumas eram antifascistas e outras criticavam Bolsonaro.

A concentração teve início às 18h, com a chegada de diferentes grupos, movimentos e partidos. Era possível identificar bandeiras do PT, PSOL, PCB e PCdoB, e de coletivos como Juntos, Kizomba, Alicerce, Unidade Popular, Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro, União da Juventude Socialista (UJS), União da Juventude Comunista (UJC), além de bandeiras LGBT e do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Entoando “presta atenção, povo brasileiro, o Bolsonaro é contra o décimo terceiro”, a marcha iniciou pela Borges de Medeiros.

Desde o início, o ato foi saudado por diversas pessoas que passavam pelas ruas, assim como comerciantes, motoristas, taxistas, passageiros de ônibus e moradores do entorno. Apenas quando a caminhada passava por baixo do viaduto da Borges dois homens se mostraram contrários ao protesto, mostrando o dedo do meio para os manifestantes e rindo, mas eles foram ignorados pelos que participavam da marcha.

Fascismo mata

Milhares de pessoas se reuniram para repudiar o fascismo e o candidato Jair Bolsonaro | Foto: Guilherme Santos/Sul21

Pouco tempo depois, quando a caminhada seguia em direção à Cidade Baixa, uma moradora foi à janela de um prédio com uma bandeira do PCdoB e foi muito aplaudida pelos manifestantes. “Vem pra rua, vem, contra o fascismo”, cantavam os militantes, assim como”recua, fascista, recua, é o poder popular que tá na rua”. O grito mais entoado, no entanto, foi “ele não!”, em alguns momentos seguido por “Haddad sim!”, em referência ao candidato petista Fernando Haddad, que disputa o segundo turno contra Bolsonaro.

O ato seguiu pela José do Patrocínio e chegou ao Largo Zumbi dos Palmares, onde um grupo também cantou “vai dar PT, vai dar, vai dar PT vai dar”. Alguns manifestantes ficaram durante cerca de 15 minutos na esquina com a Avenida Loureiro da Silva, trancando a passagem dos veículos, mas em seguida a via foi liberada. Grande parte do ato dispersou ali ou permaneceu no Largo, enquanto um número menor seguiu pela Cidade Baixa.

Em certo momento, foi possível ouvir um estouro quando uma pedra foi arremessada no vidro de um banco Itaú, mas a maior parte dos que estavam presentes  desaprovaram o ocorrido e entoaram “sem violência”. O ato seguiu até o Viaduto do Brooklin, onde nesta quarta-feira (10) houve uma reunião de articulação de estudantes.

Galeria de imagens de Guilherme Santos/Sul21

 

Fonte: Débora Fogliato – Sul21