Central Única de Trabalhadores

Marcadas as duas primeiras audiências públicas sobre reajuste do salário mínimo regional

20 novembro, sexta-feira, 2015 às 7:24 am

Comentários    Print Friendly and PDF

ADESIVO piso regional

ADESIVO piso regional

As duas primeiras audiências públicas no interior do Rio Grande do Sul para debater o reajuste do salário mínimo regional a partir de janeiro de 2016 já foram marcadas pela Comissão de Economia, Desenvolvimento Sustentável e do Turismo da Assembleia Legislativa. A primeira acontece no próximo dia 27, às 14h, em Santa Maria; e a segunda, no dia 2 de dezembro, às 19h, em Novo Hamburgo. Ambas serão realizadas nas câmaras de vereadores.

Já os encontros previstos para Caxias do Sul, Passo Fundo, Pelotas e Santa Cruz do Sul, assim como a de Porto Alegre, ainda não foram agendadas.

A CUT-RS e as centrais sindicais, com base em estudo elaborado pelo Dieese, reivindicam um reajuste de 11,55% a partir de 1º de janeiro de 2016. O índice representa a inflação projetada do período e aumento real. O INPC acumulado dos últimos 12 meses, entre 1º de novembro de 2014 e 31 de outubro de 2015, foi de 10,33%.

A realização de audiências públicas foi proposta pelo deputado Nelsinho Metalúrgico (PT), tendo sido aprovada após duas reuniões sem quórum na última quarta-feira (18) na Comissão de Economia por sete votos favoráveis e nenhum contrário.

Aprovadas audiências1

Além de Nelsinho, votaram a favor os deputados Álvaro Boessio (PMDB), Aloisio Klassmann (PTB), Eduardo Loureiro (PDT), Sérgio Turra (PP), Adilson Troca (PSDB) e Mário Jardel (PSD).

O deputado João Fischer (PP), o Fixinha, e a deputada Any Ortiz (PPS) estiveram presentes, mas se ausentaram na hora da votação, na tentativa de retirada do quórum. Desta vez, porém, a manobra que Fixinha usou na reunião do 4 não funcionou.

Vários dirigentes da CUT-RS, federações e sindicatos filiados acompanharam a reunião da Comissão de Economia, bem como representantes da Nova Central.

Ademir na Comissão de Economia

Participação é fundamental

“Chamamos os sindicatos e as federações a mobilizarem os trabalhadores para que participem ativamente das audiências públicas. Trata-se de um espaço democrático para debater com a sociedade e pressionar o governo a agilizar o encaminhamento de uma proposta de reajuste para a Assembleia Legislativa”, afirma o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.

“Essas audiências públicas irão permitir que o movimento sindical mostre para a sociedade a importância da valorização desse poderoso instrumento de melhoria dos salários dos trabalhadores e de estímulo ao consumo e à produção para aquecer a economia, aumentar a arrecadação do Estado e contribuir para fazer o Rio Grande crescer”, ressalta o secretário de Relações de Trabalho da CUT-RS, Antonio Guntzel.