Central Única de Trabalhadores do Estado do Rio Grande do Sul

Mais de 30 mil pessoas exigem Fora Temer e Diretas Já nas ruas de Porto Alegre

18 maio, quinta-feira, 2017 às 11:40 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Ato diretas já-1

Ato diretas já-1

Em defesa da democracia, mais de 30 mil pessoas saíram às ruas do centro de Porto Alegre no início da noite desta quinta-feira (18), gritando palavras de ordem como “Fora Temer” e “Diretas Já”. Após concentração na Esquina Democrática, onde foi realizado um ato com pronunciamentos de centrais sindicais e movimentos sociais, os manifestantes foram em caminhada pela avenida Borges de Medeiros até o Largo Zumbi dos Palmares. Além de trabalhadores, a mobilização atraiu muitos jovens.

Ato diretas já-2

Na esquina da rua Jerônimo Coelho com a Borges, um pelotão do batalhão de choque da Brigada Militar estava postado para impedir que os manifestantes fossem até o Palácio Piratini, na Praça da Matriz. O trajeto entre a Esquina Democrática e o Largo Zumbi dos Palmares transcorreu sem incidentes.

Ato diretas já-4

Após o término dessa caminhada, um grupo de manifestantes se dirigiu para a esquina da avenida Ipiranga com a Érico Veríssimo, onde está localizado o prédio do jornal Zero Hora e da Rádio Gaúcha, do grupo RBS. O choque da Brigada impediu a aproximação desse grupo e chegou a lançar algumas bombas de gás contra os manifestantes. Até o final da noite,  não havia registro de detidos ou feridos.

Choque

No final da noite, em meio às notícias sobre os áudios das gravações envolvendo Michel Temer e Aécio Neves, os manifestantes combinavam a participação no ato desta sexta-feira, às 17h30, atendendo ao novo chamamento das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, que anunciaram a intensificação dos atos de rua nos próximos dias para acelerar a queda do governo e interromper a tramitação no Congresso Nacional das reformas da Previdência e trabalhista no Congresso Nacional. No próximo domingo (21) haverá ato no Parque da Redenção e na quarta-feira (24) está prevista uma ocupação em Brasília, além de novo ato na Esquina Democrática.

A mobilização desta quinta-feira foi uma resposta contundente em menos de 24 horas à denúncia bombástica contra o presidente golpista Michel Temer (PMDB), divulgada no início da noite de quarta-feira (17). No começo da tarde, já havia sido realizada uma vigília pela democracia, no mesmo local. Por volta das 16h, o presidente golpista fez um pronunciamento onde garantiu que não renunciaria.

DSC_1819

“Neste momento, há atos públicos em diversas regiões do Rio Grande do Sul, como Caxias do Sul, Pelotas, Santa Maria, Rio Grande  e Pelotas, e em outros estados. E nós estaremos aqui de novo amanhã, domingo realizaremos um grande ato na Redenção e não sairemos das ruas até derrotarmos esse governo golpista e termos eleições diretas”, prometeu o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.

“Temos hoje cerca de 14 milhões de desempregados no Brasil que não podem esperar até 20128. Não será essa corja de ladrões de direitos e de ladrões propriamente ditos que interromperam o ciclo de avanços sociais no país. Nada substitui a população nas ruas como estratégia para derrotar esse governo usurpador”, disse Claudir.

Caminhão Fora Temer

O dirigente da CUT-RS salientou a necessidade de ampliar a mobilização e a resistência e fazer a denúncia das maldades do governo. “Precisamos da ajuda de todos, porque não vai ser a Rede Globo que irá mostrar isso, mas eles interromperam um ciclo de investimento e crescimento do Brasil”, frisou Claudir ao falar sobre as reformas da Previdência e Trabalhista.

“A classe trabalhadora precisa debater a solução, que é parar as reformas, recuperar a Petrobras, o pré-sal e antecipar as eleições. “Diretas já!”, finalizou.

Ato diretas já-5

Botar os golpistas para correr

O secretário-geral da UGT-RS, Norton Jubelli, contou um fato inusitado que acontecera ao longo do dia. Inúmeros políticos e militantes de direita apagaram fotos com o senador Aécio Neves e com o Temer. “O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, foi um dos que apagou as fotinhos com Aécio. Mas não adianta, nós sabemos que todos são farinha do mesmo saco e vamos denunciar”, disse.

Já o dirigente da CGTB, Éder Pereira da Silva, acredita que é uma questão de tempo para os corruptos deixarem o poder. “E vão sair de camburão, com certeza”, apontou alertando ainda que a campanha contra as reformas não pode enfraquecer, “pois eles não podem ter chance para aprovar as reformas”.

A dirigente da Intersindical, Neiva Lazzarotto, afirmou que este é o momento de intensificar a resistência. “Vamos botar esses golpistas para correr. O pato da Fiesp vai explodir e nós não vamos sair da rua”, garantiu.

DSC_1812

Para o dirigente da CSP/Conlutas, Erico Correa, os governos que se elegem com dinheiro das empreiteiras e de grandes empresas são mais que corruptos, são assassinos. “Pois é deles a responsabilidade de quem morre nas filas”, exemplificou e acrescentou que este tem que ser mais um motivo na luta pelas diretas já.

Recordando a longa jornada de lutas contra o golpe e a resistência, o presidente da CTB-RS, Guiomar Vidor, disse “que vamos continuar nas ruas até tirarmos os golpistas do poder”. De acordo com ele, esse governo, que não reeleito e está trabalhando contra o povo, conseguiu a unidade das centrais.

Ato diretas já-6

O diretor do Sindicato dos Trabalhadores no Judiciário Federal do Rio Grande do Sul (Sintrajufe-RS), Cristiano Moreira, disse que a estratégia para os próximos dias é não sair das ruas até atingir o objetivo principal: a renúncia de Temer, a convocação de eleições diretas já e a retirada das reformas da Previdência e Trabalhista da pauta do Congresso Nacional.

O sindicalista convocou todos os presentes a trabalharem para construir uma grande mobilização nacional no dia 24, que deve ser um preparativo para uma nova greve geral, talvez por tempo indeterminado.

DSC_1828

O representante da UNE, Giovani Selau, também defendeu as mobilizações nas ruas como arma para “derrotar esse governo inimigo do povo, dos trabalhadores e da juventude”.

Agenda de mobilização

Sexta-feira (19), às 17h30, acontece mais um ato “Fora Temer” e “Diretas já”, na Esquina Democrática.

Domingo (21), às 11h, a mobilização acontece no Parque da Redenção, junto ao Monumento do Expedicionário;

Quarta-feira (24) será realizado o “Ocupa Brasília” e às 17h30 haverá ato na Esquina Democrática.

Ato diretas já-7

 

 

Fotos: Renata Machado (CUT-RS) e Maia Rubim (Sul21)

 

 

Fonte CUT-RS com Marco Weissheimer – Sul21