Central Única dos Trabalhadores

Jornalistas e movimento negro cobram audiência com Sartori para debater “atitude suspeita” no FST

16 fevereiro, terça-feira, 2016 às 4:57 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Simas e negro

Simas e negro

Passadas mais de duas semanas da solicitação de audiência com o governador José Ivo Sartori (PMDB), o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (SINDJORS) e entidades ligadas ao movimento negro gaúcho ainda aguardam resposta.

O pedido de encontro busca esclarecer o episódio ocorrido em 21 de janeiro deste ano, quando a Brigada Militar abordou o palestrante do Fórum Social Mundial Temático (FST), Paulo Sérgio Medeiros Barbosa, alegando que o mesmo apresentava “atitude suspeita”.

Impedido de seguir ao local do evento, uma aglomeração se formou pedindo sua liberação. A TVE acompanhou o fato. Sem esclarecer a justificativa apresentada, a atitude dos policiais foi considerada desproporcional ao fato.

O Sindicato dos Jornalistas e outras entidades da sociedade civil apresentaram moção de repúdio ao episódio e protocolaram, no dia 29 de janeiro, um pedido de audiência pública com o governador do Estado e com os titulares das secretarias de Comunicação, Direitos Humanos e Justiça e Segurança Pública.

“O governador José Ivo Sartori já saiu e voltou de férias, os feriados de Navegantes e Carnaval já passaram e até agora não obtivemos retorno por parte do Estado. Esta é mais uma atitude de descaso e desrespeito do Executivo com o movimento negro e todas as entidades que assinam a moção de repúdio diante da ação Brigada Militar durante o Fórum”, aponta o presidente do SINDJORS, Milton Simas.

 

 

Fonte: SINDJORS