Central Única dos Trabalhadores

INPC sobe para 0,77% em outubro e acumula 10,33% em 12 meses, aponta IBGE

9 novembro, segunda-feira, 2015 às 10:03 am

Comentários    Print Friendly and PDF

INPC desacelera

INPC desacelera

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu 0,77% em outubro, após ter registrado alta de 0,51% em setembro, segundo dados divulgados na última sexta-feira (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Como resultado, o índice acumulou uma alta de 9,07% no ano e aumento de 10,33% em 12 meses.

O INPC mede a variação dos preços para as famílias com renda de um a cinco salários mínimos e chefiadas por assalariados. É menos abrangente que o IPCA, que mede a variação de preços para as famílias com rendimento monetário de um a 40 salários mínimos, mas é usado por diversas categorias de trabalhadores como base para os reajustes salariais.

Alimentos, energia e gás

Especificamente sobre a taxa acumulada em 12 meses, o resultado de 10,33% até outubro do INPC foi bastante impactada pelo encarecimento dos alimentos, energia e gás de cozinha, segundo IBGE.”O INPC, nos 12 meses (acumulados até outubro), já passou dos dois dígitos. Quando a inflação aumenta, todo mundo é penalizado Mas a população de renda mais baixa está sendo mais penalizada”, avaliou Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do IBGE.

Os produtos alimentícios subiram 0,80% em outubro, enquanto os itens não alimentícios tiveram alta de 0,76%. O peso da alimentação no cálculo do INPC é de 30,31%, enquanto que no IPCA é de 24,92%.”O gás de cozinha aumentou muito também. A pressão de gás de botijão sobre a população de baixa renda é muito forte. Tem também transportes, ônibus, energia”, citou Eulina.

 

Fonte: Correio Brasiliense