Central Única de Trabalhadores

Incêndio na Amazônia pode levar à proibição de carne brasileira na Europa

23 agosto, sexta-feira, 2019 às 1:47 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Queimadas1

Queimadas1

RBA - A Finlândia cogita banir a importação de carne brasileira na União Europeia. O país, que tem a presidência rotativa do bloco, quer que os europeus respondam à devastação causada por incêndios na Amazônia. Em nota publicada nesta sexta-feira (23), o Ministério das Finanças finlandês criticou a política climática brasileira.

“O ministro de Finanças Mika Lintila condena a destruição da Floresta Amazônica e sugere que a UE e a Finlândia devam urgentemente prever a possibilidade de banir as importações de carne bovina brasileira”, afirmou em um comunicado.

A omissão do governo de Jair Bolsonaro (PSL) sobre o desmatamento da Amazônia e as queimadas também podem trazer consequências à América do Sul. Também nesta sexta, o escritório do presidente francês, Emmanuel Macron, disse que o país se opõe ao acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul.

Bois

O escritório acusou Bolsonaro de mentir durante o encontro do G20 em Osaka, no Japão, ao minimizar as preocupações com as mudanças climáticas. O primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, também ameaçou votar contra se o Brasil não respeitar seus “compromissos ambientais”, em meio a críticas ao presidente Jair Bolsonaro pelos incêndios que assolam a Amazônia.

Na quinta-feira (22), Macron convocou através de seu Twitter a cúpula do G7 para debater a “crise internacional” da Amazônia que, segundo ele, será uma prioridade na reunião deste fim de semana, em Biarritz, no sudoeste da França. A chanceler alemã Angela Merkel, já manifestou apoio ao presidente francês, por meio de seu porta-voz.

Desde hoje, milhares de pessoas estão nas ruas em diversas capitais europeias, em manifestações contra a política climática de Bolsonaro. As embaixadas do Brasil, em Londres, Madri e Berlim, e o Consulado Brasileiro em Genebra, na Suíça, amanheceram com protestos. Ao menos, 40 cidades brasileiras terão atos a partir desta sexta-feira até domingo (25).

 

Fonte: Rede Brasil Atual (RBA)