Central Única de Trabalhadores

Funcionários paralisam contra inclusão do Serpro e Dataprev na lista de privatizações de Bolsonaro

9 setembro, segunda-feira, 2019 às 5:59 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Claudir no Serpro

Claudir fala no ato (3)

Trabalhadores do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev) paralisaram suas atividades, na manhã desta segunda-feira (9), em Porto Alegre, protestando contra a inclusão das duas estatais na lista das 17 estatais a serem privatizadas pelo governo Bolsonaro. A relação, feita pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, foi anunciada no final de agosto.

A manifestação foi realizada em frente ao Serpro e reuniu trabalhadores das duas empresas, além de integrantes de centrais sindicais e movimentos sociais

Para o Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados (Sindppd), a segurança das informações da população pode ficar ameaçada, caso ocorram essas instituições sejam privatizadas.

“No caso de privatizações do Serpro e da Dataprev, como fica a segurança dos bancos de dados? Quais são as garantias que o governo terá de que os dados das empresas e dos cidadãos não serão violados? São dados fiscais, do imposto de renda, do INSS, dentre outros. Se o controle dessas informações sai da mão do Estado, quem garante que não serão vazados e divulgados publicamente?”, questiona o panfleto distribuído pela entidade durante o ato de protesto..

Defesa da soberania

Segundo o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, a venda de empresas públicas, como Correios, Dataprev e Serpro, dentre outras, simboliza o projeto nefasto que Bolsonaro e Guedes têm para a nação. “Querem queimar tudo. A Amazônia, a aposentadoria e os direitos do povo. A destruição do nosso patrimônio nacional vai transformar o Brasil em um grande fazendão, com empregos precários e sem garantias para a maior parte da população brasileira.”

“Enquanto o governo entrega nossas riquezas de mão beijada para o capital financeiro internacional, o cidadão amarga o desemprego e se vira com bicos para sustentar a família”, criticou. Para Nespolo, a luta contra os retrocessos se faz no dia a dia, longe de salvadores da pátria e de soluções simplistas.

“Não há milagres. Ninguém se salva sozinho. Só a mobilização da sociedade será capaz de barrar essa onda de retrocessos, que começou com o golpe de 2016, prosseguiu com a reforma trabalhista e atinge o seu ápice agora, com proposta de reforma da Previdência e a MP 881”, disse.

Serpro e Dataprev

O presidente da CUT-RS anunciou que a próxima mobilização das centrais sindicais contra a reforma da Previdência no Rio Grande do Sul será realizada no próximo dia 24. “Longe das ruas não há salvação. Só reunindo grandes massas de estudantes e trabalhadores é que daremos a volta por cima”, concluiu.

Serpro e Dataprev ameaçadas

Fundada em 1964, o Serpro é a maior empresa de Tecnologia da Informação (TI) da América Latina. Dentre os seus serviços estão o fornecimento de CPFs, passaportes, emissão de CNPJ, registro das declarações de imposto de renda, arrecadação federal e pagamentos do governo e comércio exterior. Atualmente, conta com 9 mil empregados.

Já a Dataprev foi criada em 1974 e é a companhia responsável pelo processamento do pagamento mensal de cerca de 34,5 milhões de benefícios previdenciários e da aplicação online que libera o seguro-desemprego. Além de ser responsável pelas funcionalidades dos softwares utilizados nas agências do INSS e do SINE, a empresa conta com 3.600 funcionários.   

Confira a lista completa de empresas a serem privatizadas

- Emgea (Empresa Gestora de Ativos);

- ABGF (Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias);

- Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados);

- Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social);

- Casa da Moeda;

- Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo);

- Ceasaminas (Centrais de Abastecimento de Minas Gerais);

- CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos);

- Trensurb (Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A.);

- Codesa (Companhia Docas do Espírito Santo);

- EBC (Empresa Brasil de Comunicação);

- Ceitec (Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada);

- Telebras

- Correios

- Eletrobras

- Lotex (Loteria Instantânea Exclusiva);

- Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo).

  

 

Fonte: CUT-RS