Central Única dos Trabalhadores

Funcionários do Banrisul paralisam na próxima terça para acompanhar votação dos projetos das subsidiárias

26 novembro, quinta-feira, 2015 às 9:46 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

subsidiarias

subsidiarias

Funcionários do Banrisul reunidos em assembleia, no Clube do Comércio, em Porto Alegre, na noite desta quarta-feira (26/11), decidiram por unanimidade realizar um dia de paralisação em todo o Estado na próxima terça-feira (1º/12) para acompanhar a votação, na Assembleia Legislativa, dos Projetos de Lei que criam duas subsidiárias do Banrisul. Os bancários também estarão mobilizados a partir das 7h, em frente à sede da Diretoria Geral do banco, no Centro da capital gaúcha.

Em regime de urgência, os PLs 208 e 304 devem ser votados na terça-feira, e criam, respectivamente, a Banrisul Seguros e a Banrisul Cartões. A decisão da assembleia dos bancários do Banrisul autoriza paralisação em caso de adiamento da votação, conforme edital ao final do texto.

Desde que os dois PLs foram enviados pelo Governo Sartori (PMDB) em regime de urgência à Assembleia Legislativa, o sinal vermelho acendeu para os colegas do Banrisul. A criação de duas subsidiárias serão bem-vindas se não forem vendidas.

Para impedir que as duas empresas sejam vendidas e fortaleçam ainda mais o banco, dirigentes sindicais e funcionários do banco têm peregrinado pelos gabinetes de deputados da Assembleia Legislativa, solicitando que aprovem a inclusão, ao menos, de duas medidas protetivas ao patrimônio do Banrisul.

Luta pela aprovação de emendas protetivas

Uma dessas salvaguardas visa a defender o patrimônio do banco ao vincular qualquer decisão de venda a consulta popular (plebiscito), como determina o artigo 22º da Constituição Estadual. A outra medida protetiva requer que qualquer cargo de direção dessas duas subsidiárias seja exercido por funcionário de carreira do Banrisul.

“Estão dizendo que a criação das subsidiárias vai fortalecer o banco. Se for para fortalecer, não tem problema. O problema é que nem governo e muitos dos deputados não querem incluir as medidas protetivas. O fato de não ter aceitado e não colocar as medidas protetivas mostra que há riscos. No nosso entendimento, o governo começa a privatizar aos poucos. Vende duas empresas, fatia o banco, enfraquece e abre caminho para privatizar tudo. O risco é muito alto”, diz o presidente do SindBancários, Everton Gimenis.

Outro argumento a favor da tese de que o Banrisul está sob risco de privatização pelo Governo do Estado está relacionado a um encontro entre o governador José Ivo Sartori, o presidente do Banrisul, Luiz Gonzaga Mota, e altos dirigentes do Santander em 14 de outubro passado. O tema da reunião foi o Banrisul. “O banco faz uma contrapropaganda, dizendo que a venda é necessária porque o banco precisa de dinheiro.  O banco goza de ótima saúde financeira, com crescimento sucessivos e sustentados de seu lucro. Criar uma empresa de cartões e uma seguradora para vender vai fortalecer concorrentes”, avalia o diretor da Fetrafi-RS e funcionário do Banrisul, Carlos Augusto Rocha.

Mobilização para barrar privatização

Em resposta aos sinais de que há uma intenção do Governo do Estado de abrir caminho para a privatização, a estratégia do SindBancários e da Fetrafi-RS é mobilizar trabalhadores a participarem  do dia de paralisação. Além disso, dirigentes sindicais das duas entidades têm percorrido gabinetes de deputados na Assembleia Legislativa para sensibilizá-los sobre a importância de manter o Banrisul público para os trabalhadores e para o desenvolvimento do Estado. Bancários, no interior do Estado, também participarão do dia de pressão.

A diretora da Fetrafi-RS e funcionário do Banrisul, Denise Falkenberg Corrêa, fez alguns relatos sobre as audiência que conseguiu concretizar com deputados estaduais na Assembleia Legislativa nas últimas semanas. “Precisamos mobilizar os colegas do Banrisul, participar ativamente desse dia de mobilização. Porque estamos diante de um governo do Estado que tem fatiado salário de servidor público como nunca aconteceu antes. Já, com os deputados, notamos que há muito desconhecimento sobre o que a votação desses dois projetos de lei representa. Poucos são aqueles que sabem quais são as emendas protetivas que defendemos. Mas isso é uma oportunidade também para levarmos esclarecimentos e tentar convencê-los de votarem os dois projetos com as salvaguardas”, diz Denise.

O secretário de comunicação da CUT-RS e diretor do SindBancários, Ademir Wiederkehr, exaltou a importância da participação dos colegas do Banrisul na agenda de mobilização de 1º de dezembro e lembrou do tempo em que o banco no qual trabalhava, o Banespa, foi privatizado há 15 anos. “Essa mobilização é importante para chamar a atenção da sociedade. Essas garantias são fundamentais para evitar a privatização. Quando o banco é privatizado, a mudança é do dia para a noite. No caso da venda do Banespa para o Santander, nós, funcionários, ficamos sem plano de carreira. A privatização é uma tragédia. Este governo está mostrando que é capaz de tudo”, salientou Ademir.

Para o diretor do SindBancários e funcionário do Banrisul, Carlos Bobsin, as salvaguardas, como o plebiscito e a formação da diretoria das duas subsidiárias com funcionários de carreira do banco, constituem maior número de envolvidos em uma decisão representativa a respeito do futuro do Banrisul. “O projeto, assim como ele está posto, é uma autorização de venda. Sem as salvaguardas, o rumo dessas empresas será decidido pelo Conselho de Administração”, explicou.

A diretora de Comunicação do SindBancários, Ana Guimaraens, avisou que uma campanha nas redes sociais começará a chamar os banrisulenses à participação na luta em defesa do banco público. “É importante a participação nos atos presenciais e também nas redes sociais. Todo mundo pode ajudar mandando um email para os deputados, ligando para o gabinete, chamando os amigos e colegas a colaborarem” , adiantou.

Agenda da paralisação dos bancários do Banrisul

Terça-feira, 1º/12

7h30: Bom Dia, Banrisul. Em frente ao prédio da DG do Banrisul (Caldas Junior, 108, Centro Histórico Porto Alegre)

9h: Ocupa Praça da Matriz (Concentração para o ato)

12h: Ato Estadual em Defesa do Banrisul (Praça da Matriz)

14h: Vigília para acompanhar votação dos Projetos de Lei de criação da Banrisul Cartões e Banrisul Seguradora.

Card Banrisul

 

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de Porto Alegre