Central Única dos Trabalhadores

FTIA/RS realiza Seminário Estadual de Negociação Coletiva

14 dezembro, segunda-feira, 2015 às 3:47 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

valde

valde

Na última quinta-feira, 10, a Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do Rio Grande do Sul (FITA/RS) promoveu o Seminário Estadual de Negociação Coletiva 2015/2016. A atividade contou com a participação de dirigentes de diversos sindicatos do ramo. A abertura ficou por conta do assessor jurídico da entidade, Thiago Lindenmeyer, que relatou algumas das principais decisões judiciais de 2015 e que impactaram diretamente na vida dos trabalhadores.

Ele mencionou a prejudicial mudança na prescrição do FGTS, de 30 anos para cinco anos, assim como a consolidação da legitimidade dos sindicatos para executar as ações coletivas, ambas decisões do Supremo Tribunal Federal (STF). Houve ainda um debate aprofundado sobre dois temas: o índice de correção dos créditos trabalhistas e o cancelamento da OJ 419 do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

12274499_10204399467381186_8703634050213650950_n

Presidente da CUT-RS ressalta importância das ações que garantem aumento real

Após, o presidente da CUTRS, Claudir Nespolo, tratou da importância da mobilização pelo reajuste do salário mínimo regional. Ele convocou a categoria a integrar as próximas ações a serem desenvolvidas pelas centrais sindicais em prol do aumento com ganho real para os trabalhadores.

Depois foi a vez dos representantes do Dieese/RS Ricardo Franzoi e Iara Welle. Eles fizeram uma análise da conjuntura econômica atual e projeções futuras. Segundo a dupla, apesar do período de crise no País, a alimentação fecha o ano com saldo positivo em relação à geração de empregos. Dessa forma, o momento delicado em outros ramos não pode ser usado pelas indústrias para negar ganho real nos salários da categoria.

À tarde os participantes realizaram uma avaliação da campanha salarial deste ano. Entre os pontos positivos destacados estão a unidade dos sindicatos, com a realização de mobilizações que pressionaram os patrões a fechar acordos positivos em todos os setores; e também a conquista do piso unificado. Em seguida, foi feito o planejamento da próxima campanha e das demais ações para 2016. Ficou definido que a campanha salarial será lançada de forma diferente das anteriores, com atos realizados em portas de fábricas.

ali

Atividade foi considerada bastante positiva

O presidente da FTIA, Valdemir Corrêa, considerou o encontro bastante produtivo. “Foi bem relevante a participação dos representantes da assessoria jurídica, CUTRS e Dieese. E os nossos dirigentes dos sindicatos filiados trouxeram depoimentos e sugestões que nos auxiliam a formar a pauta de melhorias em prol dos trabalhadores que iremos discutir com a patronal no próximo ano”, destacou.

 

Fonte: FTIA