Central Única de Trabalhadores

Frente Brasil Popular realiza dia nacional de mobilização contra o golpe na próxima sexta

15 março, terça-feira, 2016 às 6:30 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

DSC_0052

DSC_0052

A próxima sexta-feira (18) será mais uma data histórica na defesa da democracia e contra o golpe. As centrais sindicais, os movimentos sociais e os partidos de esquerda, que integram a Frente Brasil Popular, estarão promovendo um dia nacional de manifestação em todas as capitais dos estados.  Em Porto Alegre será realizado um ato público às 17h, na Esquina Democrática.

Antes da manifestação, a CUT-RS fará uma concentração, às 16h, na Praça da Matriz, para expressar todo o apoio e a solidariedade aos servidores públicos estaduais que também estarão mobilizados nessa data. O Cpers Sindicato realizará no início da tarde uma assembleia geral no Gigantinho seguida de marcha até o Palácio Piratini.

Também estão sendo organizados atos regionais no interior do Rio Grande do Sul.

O material de convocação já começou a circular neste domingo (13), durante  o ato realizado no Parque da Redenção, que reuniu mais de 10 mil pessoas.

O panfleto mostra as conquistas que melhoraram a vida de milhões de brasileiros nos últimos 13 anos, com os governos Lula e Dilma, e alerta para a agenda dos golpistas.

2016_03_13_folheto A5_nao ao golpe-2       2016_03_13_folheto A5_nao ao golpe-1

“Os próximos dias serão decisivos. Não temos tempo a perder. Neste momento, precisamos nos concentrar nas tarefas estratégicas. Caso ocorra uma nova onda neoliberal, como querem os golpistas, a nossa luta para defender direitos será muito mais difícil”, afirma o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.

Para ele, “estamos travamos uma grande batalha ideológica. Precisamos nos municiar de informações e conversar tranquilamente com os trabalhadores e as trabalhadoras sobre a conjuntura do país. Não podemos permitir que as nossas base sejam enganadas pelo discurso dos falsos moralistas, que se utilizam da corrupção para impor retrocessos nos direitos sociais e trabalhistas”.

“Cada entidade sindical deve se transformar em uma trincheira de combate ao golpe e em defesa da democracia”, alerta Claudir. “Precisamos resistir e nos unir, o que está em risco é a própria democracia e as conquistas históricas dos trabalhadores, das mulheres, dos negros, da juventude, dos mais pobres. Queremos que o país retome o crescimento para um longo período de inclusão social e distribuição e renda. É isso que o Brasil e nossa gente merecem”, afirmou Claudir.

A mobilização do dia 18 integra uma agenda de lutas. Depois, acontecerá uma grande marcha a Brasília no dia 31 de março, além de protestos nas capitais.

Coxinhaço na Redenção. Foto: Guilherme Santos/Sul21

 

Fonte: CUT-RS