Central Única dos Trabalhadores

Fora Bolsonaro, trabalho pós-pandemia e vacina serão pautas da CUT no Fórum Social Mundial

22 janeiro, sexta-feira, 2021 às 5:32 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Tenda sindical

Tenda sindical

A sociedade civil mundial estará reunida virtualmente, a partir deste sábado (23) até 31 de janeiro, com o desejo de dar respostas aos urgentes desafios colocados pela atual conjuntura global no “Fórum Social Mundial 2021 (FSM2021) – 20 anos, Um Outro Mundo é Possível”. 

A participação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) estará centralizada na discussão sobre os impactos da pandemia no Brasil, além de intensificar o debate pelo Fora Bolsonaro e o fim de um governo genocida, de um novo contrato social com trabalho decente no pós-pandemia e vacina gratuita já para todos e todas.

A afirmação foi feita pelo diretor executivo da CUT e representante da Central no Conselho Internacional do FSM 2021, Rogério Pantoja, que comemora a realização do encontro e a resiliência dos organizadores em se inovar e organizar virtualmente uma atividade tão desafiadora.

Segundo o dirigente, a Central quer levar as principais pautas CUTistas a partir deste momento que o país vive. Para ele, essas pautas precisam ser debatidas e socializadas, a partir das suas perspectivas. O objetivo é levar este debate para as 6.000 pessoas e as 700 organizações de todos os setores da sociedade e de várias partes do mundo que já se inscreveram para participar do evento, que completa 20 anos em 2021.

“O mundo do trabalho já estava mudando antes da pandemia, o que intensificou e acelerou as transformações, e precisamos debater quais serão os impactos disso tudo no pós crise sanitária e apontar para qual emprego e modo de trabalho queremos. A CSA e a CSI, que são duas grandes centrais sindicais internacionais, contribuirão com o nosso debate e serão essenciais para o rumo da luta, porque o que acontece nacionalmente também impacta o mundo”, afirma Pantoja.

O dirigente também destaca que o debate da vacina em massa gratuita já é essencial para proteger vidas e empregos e que a denúncia do governo Bolsonaro genocida aos povos será fundamental para ganhar apoio e comoção mundial para a campanha Fora Bolsonaro, que será lançada oficialmente no FSM2021.

“Sabemos da importância e do protagonismo da CUT e os nossos debates vão ecoar em todos os cantos do mundo. E além disso, esta atividade vai ser como recarregar nossa energia para um ano de 2021 que será difícil, mas com a certeza de que nós trabalhadores vamos resistir porque a gente ainda acredita que um outro mundo é possível”, ressaltou Pantoja.

Programação

Uma grande Marcha Virtual pela democracia, pela dignidade humana e pelo nosso futuro no planeta acontecerá no primeiro dia da atividade, com vídeos de organizações, testemunhos de ativistas de todo o mundo, e um Painel Global de Abertura, com a participação de importantes ativistas sociais e políticos dos cinco continentes, entre eles o ex-presidente Lula, Aminata Dramane Traoré, Leila Khaled, Ashish Kothari, Miriam Miranda e Yanis Varoufakis.

De 24 a 29 de janeiro, serão realizados importantes painéis de debates em cada um dos nove espaços temáticos do FSM virtual: paz e guerra; justiça econômica; educação, comunicação e cultura; sociedade e diversidade; povos originários; justiça social e democracia; clima, ecologia e meio ambiente. 

Veja o programa geral do FSM e a programação da participação da CUT no FSM.  Confederações, federações, sindicatos e as secretarias da CUT também organizaram atividades  e debates dentro do Fórum.

Divulgação

A partir do dia 24 ( domingo), a Secretaria de Relações Internacionais da CUT, em conjunto com a Confederação Sindical Internacional (CSI),  começará as atividades da Tenda Sindical, com os temas Luta Sindical pela Paz na América Latina, Um Novo Contrato Social, Como Sair da Crise e Transição Justa por Justiça Social e Climática. [saiba abaixo como acompanhar cada uma delas]

No dia 28, o secretário-adjunto de Relações Internacionais da CUT, Quintino Marques Severo, representará a Central no debate do “Fora Bolsonaro genocida”, organizado pelas Frentes Brasil Popular (FBP) e Povo Sem Medo. Segundo ele, a participação será concentrada nas questões trabalhistas e sua relação coma democracia e Fora Bolsonaro.

“Os ataques de Bolsonaro à legislação trabalhista são também ataques contra a democracia, porque ele trabalha fortemente para individualizar as relações de trabalho e impedir a organização coletiva de trabalho. Este governo aproveitou a pandemia e piorou ainda mais as relações de trabalho, acabando com as possibilidades da classe trabalhadora reduzindo direitos. Bolsonaro despreza a democracia e os trabalhadores, assim como ele faz com a vida da população e por isso que somos todos Fora Bolsonaro”, afirmou.

Em 30 de janeiro, as assembleias autogestionadas dos movimentos sociais consolidarão uma agenda para a convergência de suas lutas. E no último dia (31), acontecerá a Ágora dos Futuros – um momento crucial para compartilhar com o público suas iniciativas e construir um calendário de ações a serem realizadas até a próxima edição do FSM que acontecerá no México pós-pandemia.

“Depois de 20 anos a CUT ainda acredita que outro mundo é possível e a luta dos trabalhadores é fundamental neste processo. E nós entendemos que é nosso papel levar estes debates para os trabalhadores de todos os continentes para discutir estratégia para a defesa do emprego e do trabalho que também é um debate que vai nortear nossas discussões”, finalizou Pantoja.

Atividades da Tenda Sindical Internacional

Dia 24, às 13h: Luta Sindical pela Paz na América Latina

Acordo de paz na Colômbia, Processos de democratização na América Latina, Processo constituinte no Chile e Chile serão os temas de debate

https://join.wsf2021.net/?q=pt-pt/activities/4444

Dia 26, às 11h: Um Novo Contrato Social

O movimento sindical global defende um novo contrato social pós pandemia para garantir a recuperação e resiliência, em acordo com a Declaração do Centenário da Organização Internacional do Trabalho.

https://join.wsf2021.net/?q=pt-pt/activities/5460

Dia 28, às 12h15: Como Sair da Crise 

Debate aberto entre sindicatos de vários continentes compartilhando prioridades e propostas para proteger e estender direitos trabalhistas a toda classe trabalhadora sem distinção de gênero, cidadania etc.

https://join.wsf2021.net/activities/5473

Dia 29, às 10h: Transição Justa por Justiça Social e Climática

Sindicatos de todo o mundo demandam “Transição Justa”, ou seja, a inclusão de justiça social no debate climático.  Embora conste do Acordo de Paris e muitos países tenham prometido implementar medidas e políticas, os resultados têm sido insuficientes.  As emissões ainda estão aumentando, grandes grupos da sociedade no Sul e no Norte Globais estão vivendo o impacto da emergência climática, empresas e governos estão falando sobre mudanças climáticas, mas não fazendo o suficiente.  Como o movimento sindical pode lidar com a desigualdade e a injustiça social?  Diferentes ferramentas e estratégias serão discutidas com líderes do movimento sindical e outros.

https://join.wsf2021.net/activities/5473

Leia mais

CUT promove oficina sobre futuro do trabalho no Fórum Social Mundial, nesta segunda 

 

Fonte: Rosely Rocha – CUT Brasil