Central Única dos Trabalhadores

Esta quarta é dia de luta de profissionais da educação por prioridade na vacinação

23 fevereiro, terça-feira, 2021 às 7:51 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Jornada pela Vacinação

Jornada pela Vacinação

Esta quarta-feira (24) é dia de luta pela vida de trabalhadores e trabalhadoras da educação de todo o Brasil. A “Jornada Nacional Vacina para Todos Já!”, ação que será realizada em Brasília, é  coordenada pelas Comissões de Educação das Assembleias Legislativas de todo o pais e por entidades que defendem a educação.

A categoria, parlamentares progressistas e defensores da educação vão reivindicar ao Congresso Nacional, ao Supremo Tribunal Federal e à Defensoria Pública da União a inclusão dos trabalhadores da educação no grupo prioritário do Plano Nacional de Imunização.

Durante as 12 horas de jornada, diversas atividades serão realizadas com o objetivo de demonstrar aos poderes a real necessidade da imunização para os trabalhadores em educação, em especial, neste momento em que há uma pressão pelo retorno das aulas presenciais.

“Historicamente a escola é espaço de infecção de várias epidemias, desde a mais simples como uma gripe, passando por piolhos, até as mais perigosas como é a da Covid-19”, afirma o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE/CUT), Heleno Araújo.

De acordo com o dirigente da CNTE, a defesa é para que os professores e outros profissionais da categoria tenha prioridade na imunização por fazerem parte de um grupo em alta exposição ao risco de contrair a Covid. “A escola é um foco de contato e nos locais onde houve retorno às aulas, o número de casos entre profissionais e estudantes aumentou”, diz Heleno.

Leia mais: Só em São Paulo mais de 740 casos de Covid-19 foram confirmados em escolas

Heleno ressalta  os casos mais graves como os ocorridos nas cidades de Manaus (AM), com a nova variante, e Chapecó (SC), municípios que tiveram uma explosão de infecções, após o início das atividades presenciais, principalmente no setor privado, que abriu as escolas sem que a pandemia estivesse controlada.

"Cobra-se muito o retorno às aulas presenciais, portanto, é essencial que os profissionais de educação sejam vacinados para ter um mínimo de proteção, já que o risco é elevado", desta Heleno.

Vacina para todos

Para o presidente da CNTE, a situação de categorias com maior exposição ao risco de contrair o coronavírus terem que exigir prioridade poderia ser diferente não fosse o descaso do governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL) em relação à vacina e a uma política nacional de combate a pandemia.

“É um governo que não se preparou para fazer enfrentamento, que negou a pandemia e a vacina desde o início. Se o governo tivesse se envolvido no começo, com compras antecipadas, teríamos vacinas em quantidade para todos e não precisaríamos reivindicar prioridades”, diz o dirigente.

Heleno acha que todas as categorias devem manter a pressão forte sobre o governo para que tome atitudes responsáveis para comprar e garantir vacina para todos.

A comissão das entidades que participam da Jornada, irá ao Congresso Nacional, nesta quarta-feira, onde será recebida pela liderança das minorias na Câmara dos Deputados. O documento elaborado pelas entidades, reivindicando a inclusão dos profissionais de educação no grupo prioritário para imunização, será entregue ao presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL). Durante o dia será entregue também aos ministros do Supremo e à Defensoria Pública da União.

No Senado, a CNTE também participará da entrega de uma carta ao presidente Rodrigo Pacheco (DEM-MG), cobrando a retirada da PEC Emergencial (186/19) da pauta. A proposta retira recursos da saúde e educação para destinar ao pagamento do auxílio emergencial

Leia mais: Em troca do auxílio, governo quer cortar verbas da educação, do SUS e outras maldades

Além da entrega dos documentos, lives serão realizadas ao longo do dia, além de um tuitaço às 10h da manhã. A expectativa, segundo Heleno Araújo, é positiva para os trabalhadores. “A carta também é assinada pelas Comissões de Educação de 22 Assembleias Legislativas, além de 15 governadores estaduais e a Frente de Prefeitos. Isso dá uma força grande nesta reivindicação tanto da saúde quando da educação”, ele diz.

Programação

9h - Abertura da jornada com performance na frente do Congresso Nacional

9h30 - Transmissão dos depoimentos da comitiva, em frente ao Congresso Nacional, com leitura das cartas da educação e da saúde

10h - Recepção da comitiva na liderança da minoria da Câmara e início das agendas institucionais internas

10h - Tuitaço em defesa da #VacinaParaTodosJá

11h - Live de 60 minutos com participação de parlamentares, representantes de movimentos, entidades e gestores

13h - Live de 60 minutos com transmissão cruzada nos estados

20h - Live de encerramento da jornada com apresentação do vídeo informativo das atividades da Comitiva no Congresso e de representações da Frente Pela Vida, do Conselho Nacional de Saúde e do Fórum das Comissões de Educação das Assembleias Legislativas e da CNTE.

Jornada Gaúcha

 

Fonte: CUT Brasil