Central Única de Trabalhadores

Escola Sul da CUT apresenta nova proposta de Planejamento Estratégico

12 junho, terça-feira, 2018 às 7:12 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Escola Sul

Escola Sul

Na atual conjuntura vivida pela classe trabalhadora no Brasil, marcada por constantes ataques e retrocessos, o Planejamento Estratégico Situacional (PES) ganha relevância. As recorrentes mudanças no cenário político e econômico, aliadas à chegada do período eleitoral nacional,  transformam o dia a dia dos sindicatos e demais entidades sindicais, obrigando as direções a tomarem  decisões rápidas e adequadas à realidade.

É neste contexto que o  PES se apresenta como uma ferramenta fundamental para a ação sindical. A atividade desenvolvida pela Escola Sul da CUT é voltada às direções de sindicatos e ramos e federações, seja para direções recém eleitas seja  para direções com o mandato já avançado.

Com a atividade de planejamento, pretende-se apontar aos dirigentes a importância de conhecer e refletir sobre o Planejamento Estratégico de sua entidade. O PES se apresenta como uma valiosa ferramenta para o enfrentamento da atual conjuntura, que considera não apenas a realidade vivida pelas entidades como também seus antecedentes históricos, seguindo o princípio básico de que planeja quem executa.

O PES tem origem na década de 1970, foi idealizado por Carlos Matus, autor chileno, a partir de sua vivência como ministro da governo Allende e hoje é o método de planejamento mais popular entre as entidades sindicais CUTistas. Dentro da proposta do PES, o estabelecimento de objetivos e desenvolvimentos de estratégias de ação são questões centrais e trabalhadas de maneira profunda.

A Escola Sul oferece também oferece incluir ao menos um tema específico de interesse da direção, como forma de transformar o PES em um momento formativo. Dentre os temas são ofertados:

- história da CUT

- oficina de políticas públicas (construção de plataformas)

- oficina de construção de argumentos para intervenção na conjuntura atual

- negociação coletiva pós reforma trabalhista

PÚBLICO: toda a direção do sindicato/ramo demandante

DURAÇÃO: 16 a 24 horas (2 ou 3 dias de trabalho, a depender do formato acordado)

CUSTO: consulte.

LOCAL: à escolha do sindicato demandante.

PERCURSO FORMATIVO:

1º dia 2º dia
Análise de conjuntura Planejamento por secretarias
Balanço/desafios do mandato da entidade Ações e responsabilidades
Construção de cenários Construção da ferramenta de monitoramento

 

 

 

Fonte: Escola Sul da CUT