Central Única dos Trabalhadores

Entidades apontam desmonte do governo Sartori na segurança e cobram retirada do PL 206

1 dezembro, terça-feira, 2015 às 8:49 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

20151201-ugeirm-600x450

20151201-ugeirm-600x450

Servidores da área da segurança pública se reuniram com deputados estaduais na Assembleia Legislativa nesta terça-feira (1º).  O encontro aconteceu na sala Adão Pretto – Espaço Convergência e teve como objetivo discutir a situação da área no Estado, denunciando o que os sindicatos consideram um desmonte da segurança promovido pelo governo José Ivo Sartori (PMDB). A reunião contou com a participação de entidades que representam trabalhadores da Polícia Civil, Brigada Militar, Susepe, Instituto Geral de Perícias e Corpo de Bombeiros.

Dentre as pautas está o pedido de retirada do Projeto de Lei (PL) 206, a Lei de Responsabilidade Fiscal, que prevê o congelamento de investimentos em saúde, educação e segurança. Mas a discussão feito pelos representantes, em geral, foi reivindicando que haja maior atenção para a área da segurança, considerando os altos índices de criminalidade no Estado.

“Mostramos nossa insatisfação com o que está acontecendo e os deputados também demonstraram estar indignados. Números estão mostrando que o RS está muito violento, e os projetos que são enviados pelo governo não são para beneficiar a população gaúcha e sim para piorar ainda mais”, apontou Leonel Lucas, presidente da Associação de Cabos e Soldados da Brigada Militar.

Além da conversa com os deputados, o encontro também foi importante para fortalecimento interno entre as categorias, conforme explicou o vice-presidente do Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores (Ugeirm) Fábio Castro. “Foi a primeira reunião do Conselho Unificado e lançamos um jornal das categorias sobre o tema”, relata. A publicação A Sirene conta com textos sobre a atual situação da segurança pública, além de dados sobre o aumento da violência no último ano.

A ideia, agora, é entregar o jornal em diversos locais, começando pelo litoral gaúcho durante o verão, durante as operações Verão e Golfinho. “Vamos percorrer a praia para conversar com os colegas e o pessoal das cidades, denunciar o aumento da violência. Queremos denunciar o descaso do governo Sartori”, afirma Fábio.

Após o encontro, os servidores se dirigiram até a Casa Civil, onde entregaram um documento para o secretário Márcio Biolchi, pedindo a retirada do PL 206 e falando das pautas gerais, incluindo a incerteza do pagamento do décimo terceiro. “Achamos absurdo um projeto que o governo até o momento não obteve maioria para votar tenha a possibilidade de ser votado nos últimos dias do ano em convocação extraordinária”, aponta Fábio.

 

Fonte: Sul21