Central Única de Trabalhadores

Em Porto Alegre, ato neste sábado em defesa da democracia e do Brasil ocorre na Redenção

19 outubro, sexta-feira, 2018 às 4:59 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Protesto na Redenção

Protesto na Redenção

Neste sábado (20), manifestações em defesa da democracia, das liberdades civis e dos direitos e, portanto, contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) e pela eleição do candidato do PT, Fernando Haddad, estão programadas em mais de 60 cidades do Brasil.

Os atos estão sendo convocados pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e pelo movimento “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro”. Os organizadores pretendem reunir milhares de pessoas nas ruas do país para alertar a população sobre o que está em jogo nessas eleições.

Em Porto Alegre, o ato será realizado às 15h, no Parque da Redenção. A expectativa é a participação de milhares de homens e mulheres, que se manifestarão contra o candidato que ataca direitos, espalha ódio, intolerância e preconceitos, foge dos debates e ameaça os direitos e a democracia.

Em Pelotas, a mobilização ocorre às 17h, no Mercado Central.

Todos os direitos estão em risco

“Vamos falar que a nossa aposentadoria, o nosso 13º, as empresas públicas e até mesmo a democracia, que garante que a gente possa reivindicar salários e até mesmo brigar contra medidas nefastas do governo, estão em risco”, pontua o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas.

”As pessoas precisam entender que isso não é conversa de esquerda, é um fato comprovado com vídeos onde o próprio candidato do PSL diz, por exemplo, que votou contra uma lei que garante direitos às domésticas”, diz Vagner, se referindo a entrevista que Bolsonaro deu dizendo que votou contra a PEC das Domésticas.

Pesquisa CUT-Vox Populi mostra que disputa está aberta

A pesquisa CUT-Vox Populi divulgada nesta sexta-feira (19) indica que a disputa eleitoral está aberta e tudo pode acontecer até o final da apuração das urnas no dia 28 de outubro, alerta Vagner.

De acordo com a CUT-Vox, caiu para seis pontos percentuais a diferença de intenções de votos entre Haddad e Bolsonaro, que aparece com 53% dos votos válidos contra 47% do petista. Considerada a margem de erro (2,2%), a diferença entre os dois candidatos pode checar a menos de 2%.

O percentual dos que declararam que não vão votar em ninguém, vão votar em branco ou anular é de 12%. Outros 5% não sabem ou não responderam.

“Faltam oito dias para as eleições e há ainda muito voto para virar. Vamos para as ruas, vamos virar esse jogo, como já fizemos em outras eleições, a da Dilma, inclusive, e garantir a vitória da democracia”, ressalta Vagner Freitas.

> ACESSE AQUI A LISTA ATUALIZADA DE CIDADES, HORÁRIOS E LOCAIS

Divulgação

 

 

 

Fonte: CUT-RS com CUT Nacional