Central Única dos Trabalhadores

Em defesa de Chico Buarque, Dilma repudia ato de intolerância no Rio

23 dezembro, quarta-feira, 2015 às 3:39 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Chico

Chico

A presidente Dilma Rousseff saiu em defesa, nesta quarta-feira (23), do cantor e compositor Chico Buarque, que foi alvo de agressões de jovens com comportamentos fascistas no Rio. Na mensagem, publicada no Twitter e no Facebook, a presidente diz que “não podemos aceitar o ódio e a intolerância”.

“Minha solidariedade a Chico Buarque, um dos maiores artistas brasileiros, que foi hostilizado no Rio por conta de suas posições políticas. O Brasil tem uma tradição de conviver de forma pacífica com as diferenças. Não podemos aceitar o ódio e a intolerância. É preciso respeitar as divergências de opinião. A disputa política é saudável, mas deve ser feita de forma respeitosa, não furiosa. Reafirmo meu repúdio a qualquer tipo de intolerância, inclusive à patrulha ideológica. A Chico e seus amigos, o meu carinho”, publicou.

Chico e Dilma

Nepomuceno

O jornalista e escritor Eric Nepomuceno, que acompanhava Chico quando ele foi agredido, aponta três preocupações diante do fato: “a extrema fúria dessa direita desgarrada que acaba de sair do armário embutido, sua facilidade com que repetem o que dizem os grandes meios de comunicação, e a incapacidade para qualquer gesto minimamente civilizado”.

Nepomuceno ressalta que “essa direita troglodita ataca à traição e sabe que figuras públicas como as que foram atacadas à sorrelfa não costumam reagir, para não alimentar a sede mesquinha dos escrevedores de intrigas”.

“Há poucos registros, que eu me lembre, de alguém que tenha saído do armário com tanta sede de ação. Cuidado com eles: tantas ganas reprimidas, quando subitamente liberadas, desconhecem limites”, alerta.

Paulo Nogueira

“Era preciso que alguém, enfim, juntasse essas duas palavras: PSDB bandido. Como foi Chico, isso imediatamente se espalhou pelas redes sociais. Mesmo a mídia tão amiga do PSDB foi obrigada a dar, contrariada, a sentença de Chico”, comenta o jornalista Paulo Nogueira, do Diário do Centro do Mundo, sobre a frase dita na segunda-feira pelo cantor: “Eu acho que o PSDB é bandido”.

“A importância da frase reside na contestação da ideia, insuflada tenazmente pela mídia, de que o PT é bandido e o PSDB mocinho”, acrescentou.

“Numa palavra, o mundo de Chico – e não estou falando de ideologia — pode triunfar sobre o mundo dos desordeiros que perturbaram sua paz no Leblon. Por tudo isso, é de Chico a frase do ano”, conclui.

 

Fonte: Brasil 247