Central Única dos Trabalhadores

Em 24 horas, Brasil registra 25% das mortes por Covid-19 no mundo, alerta OMS

22 maio, sexta-feira, 2020 às 11:50 am

Comentários    Print Friendly and PDF

Atendimento hospitalar

Coronavírus5

No epicentro da pandemia do novo coronavírus, o Brasil registrou, em apenas 24 horas, 25% do total de mortes por Covid-19 no mundo, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgados nesta sexta-feira (22). E como informa o jornalista Jamil Chade, no UOL, esse não é o total de brasileiros que morreram nas últimas 24 horas. É o total de óbitos confirmados neste período e informados à agência até a manha desta quinta-feira (21).

De acordo com a OMS, o mundo registrou 4,4 mil óbitos, sendo 1.179 no Brasil. Nos EUA, onde a doença está sendo avassaladora, foram 932 mortes.

E entre quarta e quinta, o Brasil país registrou mais um triste recorde de mortes por coronavírus em 24 horas. Foram 1.188 óbitos — o maior número registrado desde o início da pandemia – totalizando 20.047 mortes pela doença. O número de pessoas contaminadas também vem crescendo rapidamente. Até ontem eram  310.087, sendo 18.508 em 24 horas. Somente em uma semana, foram registrados 100 mil casos.

O avanço da Covid-19 em sete dias aponta a velocidade do contágio da doença – desde o primeiro diagnóstico, o país levou 67 dias para atingir a marca de 100 mil casos.

Com esses dados, o Brasil é o terceiro país no mundo com o maior número de casos confirmados da doença, atrás apenas dos Estados Unidos e Rússia.

 Segundo os dados do Ministério da Saúde, 3.534 óbitos suspeitos ainda estão em investigação e 164.080 casos seguem em acompanhamento. Cerca de 125.960 pacientes já se recuperaram da doença.

No mundo, mais de 5 milhões de pessoas foram infectadas pelo vírus e mais de 333 mil pessoas já morreram, segundo o levantamento da Universidade Johns Hopkins.

Mesmo diante da maior crise sanitária, o Brasil continua sem ministro da Saúde e está sob o comando interino de um general, sem formação acadêmica em medicina, que já indicou para a pasta 21 militares, nenhum deles é médico.

No Rio de Janeiro, a prefeitura projeta que em duas semanas a cidade vai atingir a marca de 40 mil casos de Covid-19, segundo da Secretaria Municipal de Saúde. A capital tem 18.743 pessoas infectadas, o estado do Rio tem 32.000 e 3.400 pessoas já perderam a vida.

Na capital paulista, o segundo dia de feriadão (o prefeito Bruno Covas, do PSDB, antecipou o feriado de Corpus Christi para esta quarta e Dia da Consciência negra para esta quinta)  teve muitas pessoas nas ruas, ônibus e metrô movimentados e baixa adesão ao isolamento social. Para aumentar ainda mais a taxa de isolamento, a Assembleia Legislativa de São Paulo antecipou também o feriado estadual de "9 de julho" para segunda-feira (25).

São Paulo registrou nas ultimas 24 horas 195 mortes no estado em decorrência da doença, chegando à marca de 5.558 mortes no estado desde o início da pandemia.

Norte Nordeste

Manaus pode ter mais de 200 mil infectados pela Covid-19, 20 vezes o número de casos confirmados pelo governo, segundo um estudo da Universidade Federal de Pelotas.

A pesquisa foi realizada em 133 cidades do país. Na capital amazonense foram entrevistadas e testadas 250 pessoas – o que representaria 11% da população contaminada.

Segundo os dados do Ministério da Saúde, o Amazonas tem mais de 23 mil contaminados, 11.643 deles concentrados em Manaus. O estado tem 1.561 mortes pela doença.

Terceiro estado mais afetado pela pandemia no Brasil, o Ceará registrou 31.413 casos de pessoas infectadas e um total de 2.161 óbitos por Covid-19. Fortaleza, epicentro da pandemia no estado, já tem 18.644 pessoas com a doença e 1.503 mortes.

O município de Caucaia, na Grande Fortaleza, soma 1.104 casos confirmados e registra 55 óbitos em decorrência da doença. A cidade é a mais afetada pelo novo coronavírus no Ceará, depois da capital.

Situação

 

Fonte: CUT Brasil