Central Única dos Trabalhadores

Documentário “Golpe” estreia em Porto Alegre com muitos aplausos e elogios

24 janeiro, sexta-feira, 2020 às 12:24 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Diretores do Golpe

Diretores do Golpe

O documentário de longa-metragem “Golpe”, dos diretores Guilherme Castro e Luiz Alberto Cassol, teve estreia nacional nesta quinta-feira (23), em Porto Alegre, reunindo os realizadores e vários entrevistados, entre pensadores e militantes, que gravaram depoimentos que foram mescladas com imagens capturadas do processo de derrubada sem crime de responsabilidade da presidenta Dilma Rousseff (PT), em 2016.

O filme, assistido por dezenas de participantes do 2º Fórum Social das Resistências e muito aplaudido e elogiado, lotou a Cinemateca Paulo Amorim na Casa de Cultura Mário Quintana, onde fica em cartaz até o dia 29 e mais tarde fará circuito em outras cidades do país.

Segundo os diretores, "Golpe" faz uma cronologia e reflexão sobre os fatos políticos que marcam a destituição de Dilma e a prisão de Lula para ser impedido de concorrer às eleições de 2018, o que resultou na vitória de Bolsonaro.

Debate após exibição do filme

Após a exibição, foi realizado um debate com os diretores e vários entrevistados, como o ex-presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, o cientista político Benedito Tadeu César e o advogado Mário Madureira. Também fizeram depoimentos o ex-governador Tarso Genro e os jornalistas Moisés Mendes e Juremir Machado da Silva.

"É um filme belíssimo que todos deveriam assistir, pois ajuda a refletir e a compreender o golpe, que tirou uma presidenta honesta, sem qualquer crime, e depois impediu que Lula fosse candidato quando liderava todas as pesquisas. O golpe atropelou a democracia e levou a extrema direita à presidência da República com a sua pauta de retrocessos contra a classe trabalhadora e o povo brasileiro", afirma Nespolo. 

Assista à transmissão da CUT

Entrevista dos diretores

Em tempos de democracia em vertigem, o portal Brasil de Fato RS conversou também com os realizadores sobre o filme, o golpe que ainda está em curso e a situação atual do audiovisual no país.

Para eles, a consequência daquilo que aconteceu em 2016 é nefasta e nebulosa para o Brasil, e estamos vivendo ela hoje, na economia, na cultura e nas questões sociais. Toda e qualquer capacidade de diálogo e inclusão está sendo tirada nesse país.

Clique aqui para ler a entrevista! 

Assista ao trailer do filme

 

Fonte: CUT-RS com Brasil de Fato