Central Única dos Trabalhadores

Democracia e papel da imprensa norteim novo livro da oficina do SindBancários

9 novembro, segunda-feira, 2015 às 6:59 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

webDSC_1213-708x350

12188900_965512936820490_3425490996022079980_n

Pelo oitavo ano consecutivo, os alunos da Oficina de Criação Literária do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre lançaram sua obra na Feira do Livro de Porto Alegre. A cerimônia ocorreu nesta segunda-feira, dia 9, com um debate no Salão Norte do Santander Cultural e se encerrou com sessão de autógrafos no andar térreo do Memorial do Rio Grande do Sul, na Praça da Alfândega, no centro da capital gaúcha.

O lançamento de “Nos caminhos da imprensa Rio-Grandense e Brasileira” iniciou com um debate sobre o papel da imprensa, liberdade e democracia.

webDSC_1201-800x532

Para o evento, foram convidados o presidente do SindBancários, Everton Gimenis, o presidente do Sindicato dos Jornalistas do RS, Milton Simas, o presidente da Associação Rio-Grandense de Imprensa (ARI), João Batista Filho, além do escritor Alcy Cheuiche, que ministra a oficina, e do jornalista e editor do Jornal Já, Elmar Bones.

IMG-20151109-WA0025-2

Cheuiche lembrou que a obra é fruto de mais de seis meses de estudos, pesquisas e entrevistas com “pessoas de notório saber sobre os temas abordados”. Conforme o escritor, dos mais de 500 contos produzidos pelos seus alunos, foram escolhidos os 90 melhores, traduzidos na sua íntegra ao espanhol.

O escritor ainda lembrou que, em nenhuma das edições, houve qualquer interferência por parte do Sindicato, de forma que os livros sempre foram escritos e publicados com total liberdade criativa pelos alunos-escritores. Em seguida, Simas leu um conto de sua autoria, “A Ditadura Quebra”.

webDSC_1213-708x350

Liberdade de imprensa para quem?

Gimenis parabenizou todos os escritores pela qualidade dos textos. “É um livro rápido de ser lido por causa dos bons contos contidos na antologia”, analisou. Ele também lembrou as diversas iniciativas promovidas pelo SindBancários no intuito de incentivar o senso crítico da categoria e da população, como no caso do CineBancários, que prioriza filmes sobre temas sociais, pouco abordado pelas produções mais comerciais.

“Não abrimos mão de fazer e ampliar debates com a sociedade. Fala-se tanto em liberdade de imprensa, mas ela é livre apenas para abordar os assuntos com ponto de vista favorável aos seus donos”, complementou Gimenis.

12195782_965571690147948_655629109269530625_n

Elmar Bones lembrou que seis famílias controlam a difusão midiática no país e, mesmo com o advento das redes sociais que enfraqueceu seu poder, os grandes meio de comunicação ainda fazem a pauta a ser discutida. “A democracia está ligada à qualificação da informação produzida pelos veículos. Precisamos aumentar a participação das comunidades e dos movimentos organizados para avançar neste campo, integrar esses pontos de vista nas discussões”, observou Bones.

O jornalista ainda explicou que, na imprensa, é fundamental acompanhar alguns temas no dia-a-dia, mais do que buscar a “notícia bombástica”. “Questões como a habitação ou o próprio movimento sindical não tem voz na mídia. O movimento sindical é muito forte hoje, por exemplo, e só aparece quando há uma greve. Mudar isso fará muito bem para a democracia”, concluiu.

12193590_965571656814618_8543165241420054606_n

O presidente da ARI, Batista Filho, lembrou que este ano a entidade comemora 80 anos e que a publicação mostra um grande interesse social. Segundo ele, nenhuma invenção foi tão importante nas últimas centenas de anos como a tipografia.

“Ela nos imortalizou a palavra e nos permitiu a reprodução e a repetição de ideias. Mas também temos que saber a não repetir nossos erros. Nada mais atual neste momento, em que a democracia está em risco. A literatura pode ter uma grande contribuição nestes episódios, quando conseguimos fazer uma reflexão dos nossos sentimentos e dos nossos entendimentos”, acrescentou.

Sessão de autógrafos

Após o debate, os escritores distribuíram autógrafos para quem adquiriu o livro, que custa R$ 24 e está à venda no Feira do Livro. Entre eles está o atual presidente e o ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas do RS, Milton Simas e José Nunes, respectivamente, e a jornalista da CUT-RS, Renata Machado.

20151109_190758

Vários dirigentes da CUT-RS prestigiaram o debate e a sessão de autógrafos, como o presidente Claudir Nespolo, o secretário de Comunicação, Ademir Wiederkehr, e o secretário de Meio Ambiente, Paulo Farias. Também estiveram presentes vários diretores do SindBancários, Fetrafi-RS e Contraf-CUT.

 

Fonte: CUT-RS com SindBancários