Central Única dos Trabalhadores

Defensor Público vai processar deputado do PSL e internautas por “fake news” sobre soltura de presos

2 abril, quinta-feira, 2020 às 10:37 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Defensoria

Defensoria

Sul21 – O defensor público Mário Rheingantz anunciou nesta quinta-feira (2) que irá processar figuras públicas e internautas que estão ajudando a compartilhar a notícia falsa (ou fake news) de que ele teria pedido a libertação de 3,6 mil presos no Rio Grande do Sul no momento em que o Brasil enfrenta a pandemia de coronavírus. 

A falsa informação circula nas redes sociais há alguns dias e tem sido compartilhada inclusive por figuras públicas, como o deputado estadual Ruy Irigaray (PSL). Rheingantz afirma que tem sido vítimas de ataques desde que a fake news começou a circular.

"Aqui no RS o judiciário arrumou uma solução para o cidadão de bem cumprir a quarenta: soltaram a bandidagem nas ruas, mesmo com o parecer contrário do Ministério Público. Agora o defensor público Mário Rheingantz quer ampliar ainda mais essa bandalheira, de que lado vocês estão?". Ruy Irigaray (@RuyIrigaray) April 2, 2020

“Foi feita uma postagem inverídica e criminosa sobre minha atuação como defensor, com ataques e ameaças. Não podemos calar diante de crimes sejam eles contra mim ou contra uma instituição é parte fundamental da democracia, como a Defensoria Pública”, diz Mário Rheingantz.

O defensor explica que, como medida de prevenção à disseminação do novo coronavírus, fez um pedido de reanálise quanto aos presos preventivos de uma única vara criminal. Rheingantz diz que seguiu os termos recomendados pelo Conselho Nacional de Justiça e em consonância com a ação de todas as Defensorias que atuam na Defesa Criminal. Além disso, afirma que o pedido não resultou em nenhuma soltura.

Ele informou que acionou seu advogado na noite de quarta-feira (1º) e que irá acionar judicialmente quem compartilhar a notícia falsa.

A Associação dos Defensores Públicos do RS manifestou repúdio contra a disseminação da falsa notícia e defensores de todo o estado estão subscrevendo uma nota de repúdio aos ataques.

 

Fonte: Sul21