Central Única de Trabalhadores

CUT-RS reforça vigília nesta terça na Praça da Matriz contra desmonte do IPE pelo governo Sartori

12 março, segunda-feira, 2018 às 4:07 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

08/12/2016 - PORTO ALEGRE, RS - CPERS realiza assembleia na praça da matriz e decide entrar em greve. Foto: Guilherme Santos/Sul21

08/12/2016 - PORTO ALEGRE, RS - CPERS realiza assembleia na praça da matriz e decide entrar em greve. Foto: Guilherme Santos/Sul21

A CUT-RS fortalece a vigília que será realizada nesta terça-feira (13), a partir das 10h, na Praça da Matriz, no centro de Porto Alegre, contra o desmonte do Instituto de Previdência do Estado (IPE) pelo governador José Ivo Sartori.

Além da vigília, o CPERS Sindicato convoca todos professores (as) e funcionários (as) de escola para participarem do Dia de Paralisação Estadual, tendo como eixos: defesa da Saúde, contra o pagamento atrasado dos salários e auto-agenda com o governo Sartori MDB (ex-PMDB).

O Projeto de Lei  212/17, que dispõe sobre o Sistema de Assistência à Saúde e sobre o Fundo de Assistência à Saúde será o primeiro projeto a entrar nesta terça-feira, às 14h, na pauta de votação do plenário da Assembleia Legislativa.

Esse projeto, se for aprovado, representará aumento de até 40% em consultas, exames, serviços e procedimentos, significando privatização e precarização dos atendimentos.

CUT defende o IPE

“O PL 212 é o projeto do IPE mais nefasto para a categoria. Se aprovado, teremos que pagar 40% de coparticipação em todos os procedimentos. Representa a morte para muitos servidores. Temos colegas que fazem quimioterapia. Com o nosso salário, não temos condições de pagar esses valores absurdos”, afirma a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer.

“Nesta terça a nossa pressão em cima dos deputados tem que ser mais forte do que todas as outras vigílias. Vamos lutar até o fim pelo nosso IPE”, conclama.

Também irá a votação o PL 211/17, que dispõe sobre a criação do Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul (IPE Saúde) e dá outras providências.

Para a CUT-RS e o CPERS, o IPE é de todos os servidores e servidoras do estado do Rio Grande do Sul. É preciso defendê-lo para garantir qualidade no atendimento à saúde!

defesa do IPE

Vejas as consequências se o PL 212 for aprovado:

- Coparticipação progressiva em até 40% nas consultas, exames complementares, serviços ou procedimentos;

- Privatização e precarização dos atendimentos;

- O ingresso no IPE será facultativo (contribuirá para o enfraquecimento do sistema de Saúde, pois jovens ou pessoas saudáveis poderão optar pelo IPE Saúde apenas futuramente ou quando sentirem a necessidade por enfermidades

- Terá prazos de carências de acordo com a Agência Nacional de Saúde (ANS);

- Os futuros ou futuras pensionistas passarão a contribuir 6,2%, hoje em dia os pensionistas contribuem 3,1%, ou seja um aumento de 100%na contribuição desses segurados;

- Adesão de novos entes públicos (prefeituras municipais e câmaras municipais), sem nenhuma melhoria na qualidade e ampliação dos serviços ofertados.

Card vigília 1303

 

Fonte: CUT-RS com CPERS Sindicato