Central Única dos Trabalhadores

CUT-RS reforça ato do CPERS e cobra verdade sobre pandemia no RS e testagem dos trabalhadores da saúde

10 junho, quarta-feira, 2020 às 7:13 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Testagem

Testagem

Em ato do CPERS Sindicato, realizado na manhã desta quarta-feira (10), em frente ao Palácio Piratini, no centro de Porto Alegre, a CUT-RS reforçou a denúncia acerca do confisco dos salários dos educadores pelo governo Eduardo Leite (PSDB) e manifestou total apoio à campanha “Governador, escute quem educa”.

O presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci, cobrou também a verdade sobre a pandemia de coronavírus no Estado, cujos números e o modelo de “distanciamento controlado” do governo vêm sendo questionados pelo Conselho Estadual de Saúde.

“Exigimos ainda a testagem urgente de todos os trabalhadores da área de saúde para a covid-19, o que não está sendo feito, colocando em risco quem mais precisa de proteção à vida durante a pandemia”, destacou.

Munidos de faixas e cartazes, máscaras de proteção e mantendo o distanciamento social, conforme recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), os dirigentes sindicais saíram em caminhada pela Praça da Matriz e se dirigiram até a porta de acesso principal do Piratini.

Caminhada

Números não podem ser manipulados

Para Amarildo, Leite segue o péssimo exemplo do governo Bolsonaro em nível nacional e tenta manipular igualmente os dados acerca da real situação da pandemia no Estado. “Sabemos que os casos de contaminação estão subnotificados e, assim como os profissionais de saúde, a população também não está sendo testada, enquanto aumenta rapidamente a taxa de utilização dos leitos das UTIs e o inverno ainda nem começou”.

“Em vez de falar a verdade e agir com transparência e responsabilidade, o governador distrai a população com o ‘distanciamento controlado”, que usa bandeiras coloridas para designar regiões que podem abrir comércio e outras atividades e permitir a circulação nas ruas. A realidade é que, desde que essa medida foi adotada, as emergências dos hospitais registraram um crescimento acentuado de pacientes com sintomas de covid-19. Basta olhar o alto grau de infecção nos profissionais da saúde para sabermos que há algo errado”, enfatizou Amarildo.

Amarildo e Carlini1

Insensatez do governo Leite com os educadores

“Estamos aqui também para demonstrar o nosso total apoio ao CPERS e aos educadores que trabalham nas escolas públicas do Rio Grande do Sul. É uma vergonha que o governador continue atrasando e parcelando os salários dos professores e, pior do que isso, não pagando os grevistas que recuperaram as aulas do período em que estiveram paralisados, lutando pelo plano de carreira do magistério, dilacerado pela insensatez do governo Leite”, explicou o dirigente da CUT-RS.

“Os professores merecem salários dignos e não podem continuam sendo os que recebem os vencimentos mais baixos do Brasil”, criticou Amarildo.

Amarildo com Cpers

Governador: escute quem educa!

A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, ressaltou que o objetivo da campanha lançada é pressionar o governador para que dê respostas à categoria. “Temos vivido um total descaso do governo do Estado que, além de parcelar e atrasar os nossos salários, está descontando os dias parados que já foram recuperados e taxando professores aposentados”, denunciou.

Educadores1

“No momento em que os aposentados mais precisam, que é este período de pandemia, o governador retira dinheiro da renda dos aposentados para fazer poupança para a previdência estadual gaúcha. Então, estamos aqui, de forma responsável, mantendo o distanciamento social, para fazer com que ele escute a educação. Isso é importante porque merecemos respeito. Sem professor valorizado, não há futuro possível para os gaúchos”, destacou Helenir.

Pague as aulas

Assista ao vídeo com a fala do presidente da CUT-RS

Assista ao vídeo com a fala da presidente do CPERS

 

Fotos: Marcus Perez  (CUT-RS)

 

Fonte: CUT-RS