Central Única dos Trabalhadores

CUT-RS promove live nesta quarta sobre injusto sistema de tributação no Brasil

12 agosto, quarta-feira, 2020 às 3:52 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Live - 12.08 transmissão

Live - 12.08 final

Sob o mote “Tributar os ricos e aliviar os trabalhadores”, a CUT-RS promove uma live, nesta quarta-feira (12), às 19h, sobre o injusto e desigual sistema tributário brasileiro e as propostas de reforma tributária em debate no Congresso Nacional e na Assembleia Legislativa do RS.

Participarão o diretor do Instituto Justiça Fiscal, Dão Real, e a economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Cristina Pereira Vieceli.  A mediação será do presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci.

A transmissão ao vivo será realizada simultaneamente nas páginas da CUT-RS e da CUT-Brasil no Facebook, com publicação cruzada de federações e sindicatos filiados.

Segundo dados do Instituto Justiça Fiscal, o Brasil possui uma taxação média de 21% sobre a renda dos trabalhadores. Mais de 49,7% do total dos tributos são cobrados no consumo. Isso vai na contramão do que defendem os países que integram a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), cuja tributação média é de 34,1% sobre a renda e de 32,4% no consumo.

Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), divulgada em janeiro, mostra que as famílias brasileiras de classes sociais mais baixas pagam quase 30% de impostos sobre o consumo, enquanto os ricos são onerados em apenas 10%.

Que os ricos paguem a conta

Para o presidente da CUT-RS, o período de pandemia e a iminência de votação de propostas de reforma tributária abrem espaço para esclarecer a sociedade acerca das profundas distorções tributárias existentes no Brasil.

“O Brasil neoliberal de Paulo Guedes e Bolsonaro quer utilizar a reforma tributária e a reforma administrativa para atacar a estrutura dos estados, da federação e dos municípios, com o objetivo de vender, terceirizar e entregar os serviços públicos. Nessa discussão, temos de, para além dos debates no Congresso Nacional, questionar quem serão os contribuintes mais afetados por uma mudança no sistema tributário”, questiona Amarildo.

Para ele, "é necessário aliviar a carga tributária dos trabalhadores, através da cobrança de impostos sobre lucros e dividendos, a tributação das grandes fortunas, a isenção do Imposto de Renda para quem ganha até R$ 5 mil e a desoneração da cesta básica”.

“São medidas para reverter a lógica regressiva da nossa arrecadação. Que os ricos paguem a conta, que os grandes lucros sejam taxados e que a banca que vive da estrutura da nossa dívida pública também contribua com o nosso país”, destacou o dirigente sindical.

Conheça os participantes

Dão Real Pereira dos Santos

É auditor fiscal concursado da Receita Federal do Brasil desde 1995. É diretor de Relações Institucionais do Instituto Justiça Fiscal e integrante do coletivo Auditores Fiscais pela Democracia.

Cristina Pereira Vieceli

É economista do Dieese, mestre em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e autora da pesquisa “Estrutura Tributária Brasileira e seus reflexos sobre as desigualdades de gênero”.

Mediação

Amarildo Cenci

É presidente da CUT-RS e diretor do Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinpro-RS).

 

 

Fonte: CUT-RS