Central Única dos Trabalhadores

CUT-RS exige vacina já para todos, enquanto Estado bate recorde de mortes por Covid-19

3 março, quarta-feira, 2021 às 12:14 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Passarela

Passarela

A CUT-RS estendeu uma faixa com as cores da bandeira do Brasil, no início da manhã desta quarta-feira (3), na passarela da Estação Rodoviária de Porto Alegre. Com os dizeres "Vacina já para todos", "Em defesa da vida" e "Fora Bolsonaro", os dirigentes sindicais chamaram a atenção da sociedade para o caos na saúde, a lotação da rede hospitalar, o aumento do número de óbitos e infectados, e a falta de vacinas para imunizar a população.

A manifestação simbólica ocorreu um dia após o Rio Grande do Sul bater recorde de mortes por covid-19 nas últimas 24 horas.

Faixa bandeira

Tragédia anunciada

"Essa situação dramática e assustadora que estamos vivendo é causa e consequência da política de morte do presidente negacionista e genocida Jair Bolsonaro e de seus apoiadores. Sem testagem e sem vacinação em massa não iremos salvar vidas e acabar com a pandemia", afirma o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci. 

Para o diretor da CUT-RS, Marcelo Carlini, "a tragédia que os trabalhadores brasileiros enfrentam é responsabilidade do governo Bolsonaro e dos governadores e prefeitos que acompanharam, com arroubos ou não, sua política. Esta acusação se aplica a Eduardo Leite (PSDB), ao ex-prefeito Marchezan (PSDB) e sua continuidade, Sebastião Melo (MDB)".  

"Não podemos ficar calados diante do sofrimento de nossa classe que exige emprego, comida, e condições seguras de trabalho. É nos protestos e atos como este que vamos dialogar com a população, que na sua maioria é obrigada a sair às ruas para garantir sua sobrevivência, que podemos cobrar testagem, vacina e abrirmos caminho para o fim deste governo", ressalta Carlini.

Passarela1

185 vidas perdidas nas últimas 24 horas no RS

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou no boletim epidemiológico divulgado na tarde desta terça-feira (2) que foram confirmados 185 novos óbitos por covid-19 nas últimas 24 horas, o que representa um novo recorde diário no âmbito da pandemia. O RS totaliza agora 12.653 mortes pela doença.

De acordo com o boletim, 183 dos óbitos confirmados no período ocorreram entre os dias 8 de fevereiro de 2 de março. Os outros dois são de datas há mais de 30 dias e que só agora tiveram as notificações completadas. O recorde anterior de confirmações em um único dia era de 29 de dezembro, 144, quando havia o represamento de dados do Natal.

Entre as novas confirmações, 45 ocorreram em Porto Alegre, 8 em Novo Hamburgo, 7 em Pelotas, 6 em Gravataí, Cachoeirinha, Viamão, e 5 em Caxias do Sul.

Além disso, o RS superou nesta terça a taxa de 100% de ocupação de leitos de UTI em hospitais das redes pública e privada. O Hospital Moinhos de Vento alugou um contêiner refrigerado para colocar os pacientes mortos por Covid-19, após o esgotamento do necrotério do local.

Passarela3

Colapso na saúde

O caos na saúde e a falta de vacina estarão em debata na live que a CUT-RS realiza, nesta quinta-feira (4), às 19h. Participarão o presidente do Conselho Nacional de Saúde, Fernando Pigatto, a médica infectologista e diretora do Sindicado dos Médicos de São Paulo, Juliana Salles, e o presidente do Sindisaúde-RS, Júlio César Jesien. A mediação será feita pelo presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci. 

Haverá também depoimentos da presidente do Sindicato dos Enfermeiros (Sergs), Cláudia Franco, e da auxiliar de enfermagem Etel dos Santos Lopes.

A live será transmitida nas páginas da CUT-RS e CUT Brasil no Facebook e terá publicação cruzada em federações e sindicatos filiados, além de parcerias.

Card - Caos na saúde

 

Fonte: CUT-RS com Sul21