Central Única dos Trabalhadores

CUT-RS entrega 95 cestas básicas de alimentos para famílias carentes de Porto Alegre e Gravataí

31 julho, sexta-feira, 2020 às 5:56 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Cestas 1

Cestas 1

A CUT-RS entregou 95 cestas básicas de alimentos orgânicos produzidos pela agricultura familiar, kits de limpeza e higienização para famílias em situação de vulnerabilidade social, na manhã desta sexta-feira (31), nos bairros Humaitá, Partenon, Glória, Farrapos, Vila Cruzeiro e Vila Teodora, em Porto Alegre, e em Gravataí.  

A ação solidária integra a campanha da CUT-RS em parceria com o SindBancários, Sinpro-RS, Adufrgs Sindical, Senergisul, Semapi-RS, Sindiserf-RS e Sindipetro-RS. O objetivo é auxiliar trabalhadores que perderam renda na pandemia do coronavírus e vivem na periferia. Os alimentos foram trazidos pela Cooperativa Mista de Agricultores Familiares de Itati, Terra de Areia e Três Forquilhas (Coomafitt).

Cestas na vida

Fora Bolsonaro

“Temos de ajudar quem está passando por necessidades devido à falta de assistência do poder público, como os catadores de materiais recicláveis”, destaca o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci. Para ele, a crise econômica agravada pela pandemia está fora de controle e a situação só poderá ser contornada com o afastamento do presidente Jair Bolsonaro.

“É uma política genocida que já provocou mais de 92 mil pessoas e 2,6 milhões de infectados por conta de seu descaso no combate à pandemia. O próprio presidente, que diz que já foi infectado com a doença, segue participando de eventos com aglomeração de pessoas, ignorando as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS)”, salienta Amarildo.

“O comportamento de Bolsonaro diz muito sobre o momento que vivemos no Brasil, onde a maior autoridade política do país não leva em conta a ciência e estimula o povo brasileiro a boicotar o isolamento social. Por esse e outros motivos, Bolsonaro já foi denunciado até no Tribunal Internacional de Haia por crime contra a humanidade”, enfatiza.

Cestas

 

Fonte: CUT-RS