Central Única de Trabalhadores

CUT-RS e centrais preparam atos unitários de 1º de Maio contra reforma da Previdência

18 abril, quinta-feira, 2019 às 4:15 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Centrais do RS

Centrais do RS

A CUT-RS e centrais sindicais estão preparando uma série de atos unitários em Porto Alegre e no interior gaúcho para comemorar o 1º de Maio, Dia Internacional do Trabalhador, que será marcado no Brasil por protestos contra a reforma da Previdência do governo Bolsonaro, por mais empregos e salários decentes.

A programação completa será definida na reunião das centrais, que será realizada na próxima terça-feira (23), às 9h, na capital gaúcha, com a participação da CTB, Força Sindical, CSB, CSP Conlutas, Intersindical, Nova Central, UGT, CGTB, Pública e as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo.

Haverá pronunciamentos das centrais, atividades culturais e mateadas, dentre outras iniciativas. Também serão montadas barracas para a coleta de assinaturas contra a reforma da Previdência, cujas listas deverão ser entregues pelas centrais ao presidente da Câmara dos Deputados na segunda quinzena de maio.

Clique aqui para acessar o abaixo-assinado.

Abaixo-assinado

Várias manifestações já estão previstas

Porto Alegre – ato às 15h, na Orla do Guaíba;

Caxias do Sul - ato às 14h, nos Pavilhões da Festa da Uva;

Bagé – concentração às 14h, na Praça do Coreto, seguida de caminhada pela Avenida 7 de Setembro;

Erechim -  concentração às 10h, no Bairro Atlântico;

Passo Fundo - ato das 14h às 17h, no Parque da Gare;

Pelotas – ato das 14h às 18h com mateada e atividades artísticas na Praça Dom Antônio Zattera

Santa Maria -  atividades das 10h às 17h com ato ecumênico, almoço coletivo, apresentações culturais, mateada, lançamento do Comitê Regional contra a Reforma da Previdência e ato público no Alto da Boa Vista, bairro Santa Marta;

Ijuí – concentração às 14h seguida de ato na Praça Central;

Rio Grande – atividade será definida na próxima semana.

Centrais em marcha

Construir a greve geral para derrotar a reforma da Previdência

“Estamos organizando atos unitários das centrais para dialogar com os trabalhadores e as trabalhadoras sobre a necessidade de derrotar a reforma da Previdência, que significa o fim da aposentadoria. Vamos apontar a importância da construção da greve geral, lembrando que a paralisação de 28 de abril de 2017, a maior na história do Brasil, foi decisiva para enterrar a reforma do golpista Temer, que era menos ruim do que a do Bolsonaro”, afirma o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.

 “Vamos denunciar também a política de desmonte cada vez maior dos direitos trabalhistas que o governo de extrema direita vem anunciando, como o fim dos aumentos reais para o salário mínimo. Se os governos Lula e Dilma não tivessem concedido reajustes acima da inflação, o mínimo não seria hoje R$ 998, mas sim R$ 573”, ressalta o dirigente sindical.

Claudir de boné

Nespolo salienta que o 1º de Maio é ainda uma oportunidade para defender mais empregos com carteira assinada e salários decentes. "Quando os golpistas aprovaram a reforma trabalhista prometeram milhões de postos de trabalho, mas enganaram a sociedade brasileira. O desemprego aumentou para 12,4% e atingiu 13,1 milhões de brasileiros e brasileiras em fevereiro", denuncia. "O que o desmonte da CLT gerou foi maior precarização do trabalho, com contratos intermitentes e jornadas parciais, piorando as condições de vida da classe trabalhadora".

 

 

Fonte: CUT-RS