Central Única de Trabalhadores

CUT-RS e centrais definem mobilização no dia 19 contra reforma da Previdência do governo Temer

9 fevereiro, sexta-feira, 2018 às 3:02 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Centrais 1902

Centrais 1902

Em reunião ocorrida na manhã desta sexta-feira (19), na sede da Fecosul, em Porto Alegre, a CUT-RS, centrais sindicais e movimentos sociais definiram as principais manifestações para o dia nacional de luta contra a reforma da Previdência, que acontecerá no próximo dia 19. O objetivo é aumentar a pressão sobre os deputados para que eles não votem a proposta do governo ilegítimo de Michel Temer (MDB), que não corta privilégios, mas acaba com o direito à aposentadoria de milhões de trabalhadores e trabalhadoras.

Conforme orientação nacional das centrais, será um dia de greves, manifestações e protestos em todo o país. “Temos que alertar os deputados que os que votarem a favor não serão reeleitos em outubro. Estamos de olho e vamos marcar na paleta cada parlamentar que votar contra os direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras do campo e da cidade”, avisa o secretário de Relações de Trabalho da CUT-RS, Antonio Güntzel.

Estiveram presentes dirigentes da CUT, CTB, UGT, Nova Central, Intersindical e CSP-Conlutas, além de representantes das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

Manifestação no Aeroporto Salgado Filho

Além das mobilizações das categorias, foi definido que na capital gaúcha a mobilização começará antes do sol nascer. Às 5h, haverá concentração junto do Monumento ao Laçador, seguida de caminhada até o saguão de embarque do Aeroporto Internacional Salgado Filho.

“Vamos fazer um corpo a corpo com os deputados e seus assessores que estiverem viajando para Brasília, além de dialogar com os passageiros e funcionários das empresas aéreas sobre o que está por trás dessa antirreforma dos golpistas, que é o desmonte da previdência pública para favorecer os planos de previdência privada vendidos pelos bancos”, denuncia o secretário de Meio Ambiente da CUT-RS, Paulo de Farias.

20180209_103616

Ato em frente ao prédio do INSS

Às 7h, as centrais e movimentos realizam nova concentração, desta vez na Estação Rodoviária, onde serão também distribuídos panfletos para esclarecer a população sobre as mentiras espalhadas pelo governo e pela mídia tradicional. Esses materiais, aliás, já começarão a ser entregues na próxima quinta-feira (15).

Depois, às 8h30, todos e todas sairão em marcha até o prédio do INSS, na Travessa Mário Cinco Paus, ao lado do Mercado Público, no centro da cidade. Lá, será realizado um grande ato público em defesa da Previdência e denunciando os deputados que estão se posicionando a favor dessa reforma do golpista Temer.

“Não existe déficit da Previdência, como ficou provado na CPI do Senado, presidida pelo senador Paulo Paim (PT-RS). O que existe é muita sonegação das empresas, renúncias e isenções fiscais, desvio de 30% das recursos da Previdência para outras áreas do governo através da Desvinculação de Receitas da União (DRU), e empresas devedores que devem até bilhões de reais, mas não pagam”, explica o secretário de Comunicação da CUT-RS, Ademir Wiederkehr. “Isso não aparece nas notícias da Globo e do restante da mídia golpista”, salienta.

Haverá também manifestações em várias cidades do interior do Rio Grande do Sul.

A luta contra a reforma da Previdência também estará presente nas folias dos blocos de carnaval e na 41ª Romaria da Terra, que ocorre na próxima terça-feira (13), em Mampituba, na divisa com Santa Catarina. O tema será pautado ainda nas manifestações de 8 de março, Dia Internacional das Mulher.

Plenária de mobilização

As centrais sindicais e movimentos sociais reafirmaram a plenária de mobilização, que ocorrerá na próxima sexta-feira (16), às 9h30, no auditório do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre (Rua General Câmara 424).

Ao final, às 11h, será promovida uma coletiva de imprensa para divulgar os últimos encaminhamentos para o dia nacional de luta, a fim de enterrar essa antirreforma da Previdência.

 

 

Fonte: CUT-RS