Central Única dos Trabalhadores

CUT-RS distribui mais 60 cestas básicas para famílias carentes e rodoviários em greve

15 janeiro, sexta-feira, 2021 às 11:11 am

Comentários    Print Friendly and PDF

Entrega de cestas2

Entrega de cestas2

A CUT-RS e sindicatos realizaram mais um dia de solidariedade nesta sexta-feira (15), uma vez que a pandemia do coronavírus continua em alta, ainda não tem data para vacinação e falta até oxigênio para cuidar dos contaminados.

Houve entrega de mais 60 cestas básicas de alimentos para famílias carentes da periferia de Porto Alegre, incluindo 15 para rodoviários de Guaíba, na Região Metropolitana, que estão em greve por falta de pagamento de salários e do 13º, muitos passando fome.

A ação solidária é resultado da parceria da CUT-RS com o Sinpro-RS, Adufrgs Sindical, Sindiserf-RS, SindBancários, Semapi-RS, Senergisul e Sindipetro-RS. Os alimentos foram trazidos pela Cooperativa Mista de Agricultores Familiares de Itati, Terra de Areia e Três Forquilhas (Coomafitt), no interior gaúcho.

Entrega de cestas3

Desta vez, foram beneficiadas famílias que moram nos bairros Glória, Farrapos e Partenon. “Somos gratos aos sindicatos que já participam dessa importante campanha e convidamos os demais a se somarem também para potencializar o nosso olhar para ajudar quem mais precisa neste tempo de pandemia”, disse o secretário de Organização e Política Sindical da CUT-RS, Claudir Nespolo.

A campanha foi lançada após o início da pandemia, em março de 2020, com a finalidade de levar dignidade e comida a trabalhadores e trabalhadoras que perderam renda devido à crise econômica, agravada pela covid-19. No ano passado, segundo levantamento da CUT-RS, essa solidariedade foi responsável pela doação de mais de 150 toneladas de alimentos, além de máscaras de proteção.

Rodoviários de Guaíba

Fora Bolsonaro

Segundo Nespolo, não podemos sequer pensar em suspender essa campanha, assim como não devemos parar de usar máscaras e evitar aglomerações. “A pandemia está longe de acabar e Bolsonaro continua sabotando e emperrando medidas sanitárias de combate à covid-19. Queremos vacina já para todos e todas”, destacou.

“Temos que continuar pressionado também deputados e senadores pela manutenção do auxílio emergencial de R$ 600, conquistado no Congresso Nacional, e depois rebaixado por Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, para R$ 300, mas que terminou em dezembro”, ressaltou. “Mais de 60 milhões de pessoas tiveram essa renda básica para enfrentar a perda de trabalho na pandemia e agora estão abandonadas à própria sorte, pois a economia continua travada e o desemprego vem crescendo”.

Para o dirigente da CUT-RS, é hora de aumentar a mobilização pelo impeachment de Bolsonaro, que é o principal responsável pelo genocídio do povo brasileiro. “Mais de 200 mil vidas perdidas e mais de 8 milhões de infectados no país. Aqui no estado já são quase 10 mil mortos e 500 mil contaminados”, alertou.

“Sem vacina, sem oxigênio e sem governo, somos convocados pela Frente Brasil Popular a participar do panelaço, a partir das 20h30 desta sexta-feira, para exigir Fora Bolsonaro pela vida e a saúde do povo brasileiro. O país não aguenta esperar mais dois anos para tirar esses ladrões de direitos, do patrimônio público e da esperança do Brasil”, concluiu Nespolo.

Leia mais

CUT-RS apoia greve dos rodoviários de Guaíba contra atrasos de salários

Panelaço 1501

 

Fonte: CUT-RS