Central Única dos Trabalhadores

CUT-RS apoia mobilização dos servidores contra PL 206 que pode ser votado pelos deputados entre Natal e Ano Novo

21 dezembro, segunda-feira, 2015 às 4:11 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Cpers e PL 206

Cpers e PL 206

O governo Sartori, até os últimos dias do ano, tenta penalizar os servidores e a população gaúcha com sua política de estado mínimo. Durante todo o ano, educadores e demais servidores públicos sofreram com o atraso e o parcelamento de salários, o que evidenciou, ainda mais, a ineficiência deste governo em administrar o Estado. Agora, para fechar 2015, quer colocar em votação o PLC 206 entre os dias 28 e 30 de dezembro, em plena época de festas de Natal e Ano Novo, durante uma convocação extraordinária da Assembleia Legislativa a ser chamada pelo governador provavelmente nesta quarta-feira, dia 23, segundo informações de deputados.

O período foi escolhido intencionalmente, pois o governo e seus aliados acreditam que nesses dias as mobilizações contra o PL serão menores. Mas é exatamente o oposto que o governo verá.

Confira a íntegra do PLC 206/2015.

Na manhã desta segunda-feira, dia 21, a coordenação do Movimento Unificado dos Servidores Públicos definiu que nesse período ocorrerá forte mobilização dos servidores. E, nos dias que antecedem a votação, serão feitas ações para cobrar, na base de cada um dos deputados, o voto contrário a este PL e a todos os projetos que retirem direitos, desrespeitando os servidores e prejudicando a população gaúcha.

“Apoiamos a mobilização dos servidores contra o PL 206 e chamados os sindicatos e as federações a cobrarem os deputados para que votem contra esse projeto do Sartori, que retira direitos dos trabalhadores e prejudica o atendimento da população”, afirma a secretária de Formação da CUT-RS, Maria Helena de Oliveira, que participou da reunião.

Todos contra o PLC 206

O CPERS convoca a todos professores, funcionários de escola, pais, alunos, comunidade escolar e toda a população gaúcha para unirem-se a pressão contra a aprovação do PLC 206. “Os próximos dias serão decisivos. É fundamental que todos cobrem os seus deputados para que votem contra este projeto. Vamos juntos mostrar ao governo que não permitiremos a aprovação deste PL, considerado um dos mais ferrenhos ataques aos direitos dos trabalhadores”, observou a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer.

Entenda as consequências do PLC 206

O PLC 206 é considerado um dos mais ferrenhos ataques contra os direitos dos trabalhadores, visto que congela os reajustes salariais, representa a diminuição e a precarização dos serviços públicos, principalmente os mais necessários à população, ou seja, saúde, educação e segurança, e não permite que sejam contratados ou nomeados novos funcionários. Se a situação das escolas está ruim, vai piorar. Se os atendimentos na área da saúde estão precários, vão piorar. Se há insegurança, vai piorar.

Conforme o Cpers, a pressão irá continuar, cada vez mais forte. “Junto com os demais servidores públicos do Estado, estaremos na Praça da Matriz mostrando a força da população gaúcha que já não suporta mais os ataques deste governo que desrespeita o direito básico da população a uma educação pública de qualidade, a atendimento em saúde adequado e a segurança.”

Porque barrar o PLC 206

Este projeto é considerado um dos mais ferrenhos ataques contra os direitos dos trabalhadores. Entenda porque:

- Congela os reajustes salariais;

- Não permite que sejam contratados ou nomeados novos funcionários;

- Representa a diminuição e a precarização dos serviços públicos, principalmente os mais necessários à população, ou seja, saúde, educação e segurança;

- Os próximos governos terão amparo para continuar a precarizar os serviços públicos oferecidos à população.

 

Fonte:  CUT-RS com Cpers Sindicato